topbella

domingo, 30 de setembro de 2012

Capitulo 64 - Relatos.

... Preso no topo da parede, o relógio cravava seus ponteiros em exatas, duas da manhã. .. A noite que pra uns era difícil.. Para outros nem tanto.
De um lado o bem.. Desse o mal. .. Alguns se mantendo e vivendo de amor verdadeiro.. Já outros? Convivendo juntamente do ódio e luxuria. .. Mais e ai.. Será que.. Mal caráteres unidos, jamais serão vencidos? ...
- Pera.. Cuidado delicia, assim você acorda a sem sal.. – A volta de dois indivíduos saídos da cama de beira de estrada, era ao menos estranha. – E a festa termina aqui. – Wesley descia beijos quentes por seu pescoço.

- Dane-se aquela mini vaca!.. Eu só quero te pegar mais um pouquinho.. Não foi o suficiente lá no motel..
- No meu quarto ou no seu? – Ela segurava a barra da camiseta dele.
- Qualquer lugar, afinal qual é a diferença? Comigo a coisa é rápida!.. – Ele a abraçava, bruto.
- Calma, calma bonitinho.. Você sabe o quanto eu to frágil e..
- Frágil? – Ele a afastava de primeiro momento. – E desde quando vagabunda agora é sensível? – Ele gargalhava irônico sob os olhares arregalados dela. – Ah Lorena faça-me o favor! Você no máximo serve pra tirar o atraso de homens necessitados assim como eu!
- Vagabunda é a mãe!.. Babaca! – Ela espalmava seus cinco dedos perfeitamente em meio a sua ‘fuça’.
- Ah não fala assim dela poxa.. Nem tá mais aqui pra se defender! – Ele pressionava um lado da face.
- Desgraçado, só me quis pra satisfazer seus desejos!
- Infelizmente não encontrei coisa melhor pra fazer amor, desculpa ai! – ‘Recuperado’, ele enchia um dos copos de whisky.
 - Pensei que gostasse de mim! – Mantendo-se sobre o indispensável salto, com a bolsa de ‘mão’, ela ia ao seu encontro.
- Pensou errado, mais acredito que disse certo! – Após um gole, ele caminhava pela sala aparentemente, tranquilo. – Lorena escuta bem duas coisas que eu vou te dizer.. Primeiro, você não é tão boa de cama quanto imaginava.. E segundo, já tive transas melhores!
- Cala boca! – Deixando escapar toda sua força, ela o erguia ao alto pela gola da camisa. – Ou ira muito em breve se arrepender de ter continuado.. Você parece não me conhecer o suficiente pra saber do que eu sou capaz!
- As coisas ditas por ele... Pra mim? Já foram mais que suficientes! – Ele a empurrava, longe.
- Olha aqui voc..
- Olha aqui você! – De dedo, Wesley a apontava. – Eu sei tudo sobre seu passado! Tudo! Pontos fracos, derrotas, vitorias.. Se bem de que não foram muitas não é mesmo? – Ela o olhava de olhos arregalados com tamanha alteração em seu tom de voz. – Pra eu te entregar pra esse bando de babacas que te perseguem, basta um só estalar de dedos!
- Do que você tá fa..
- Maldita hora daquele pacto! – O copo violentamente encontrava o chão. – E nem pense em tentar me jogar na cara outra vez que sou um péssimo amigo!

- Você é um idiota! É exatamente isso que você é e nada mais, um idiota! – Equilibrando-se, Lorena mantinha-se em pé, novamente. – Embarcamos juntos nessa! Nascemos pra fazer mal aqueles seis e a única coisa que te incomoda é não se conformar com seu destino!
- Eu quero mais que eles se explodam! De preferencia aqueles dois! – Ele movimentava bruscamente os braços. – Do que não me conformo, é saber que entrei nessa junto com você! Podia ter feito muito coisa sozinho! Sem você pra virar minha vida de cabeça pra baixo! Sem aquela garota pra estourar meus tímpanos no meio da madrugada! Eu nunca dependi de ninguém pra conseguir o que eu sempre quis! Podia agora estar a quilômetros de você, e já ter matado todos eles! – Ele esmurrava os moveis, como um louco.
- Pude ter feito muitas coisas erradas, mais ao contrario de você? Eu..
- Eu, eu o que? Já olhou seu curriculum? – Ele coçava o queixo pensativo. –Tentativa de sequestro, porte ilegal de armas, e pelo o que eu sei..
- Cala boca!
- De novo? – Ele murmurava.
- Você.. É a melhor maneira de chegar até eles!
- Ele não tem nada a vê com a historia! – Jogando as mãos ao alto, ele expressava a cara obvia.
- Como se você tivesse uma ideia melhor! – De mãos na cintura, ela passeava ao redor do cômodo.
- Que saber? – Ele franzia o cenho. – Faz o que achar melhor! Eu quero mais que você se dane! – Mais ‘‘calmo’’, ele a olhava indiferente.
- Que fique bem claro aqui..
- Que é só o tempo de nos acabarmos com todos eles.. Um por um! – Ele pronunciava declarado. – Que serei o primeiro a te denunciar.. Nem que por consequência tiver de ir junto mais.. Te levar pro buraco de onde você veio, enterrar você feito o lixo de emprego que você perdeu, isso.. Com certeza eu vou fazer, ao contrario das noites que me proporciona.. Com muito prazer!
- PROPORCIONAVA! – Cheia de ódio, ela espumava seu veneno. – Eu tenho nojo de você!.. – Ela gritava entre dentes. – Você.. É daqueles que adora esnobar, imbecil!.. Mais não consegue deixar de admitir que sempre vai comer na mi..
- Tempos passados! – Muito bem vestida, Diana dava o ar da graça em meio aos dois.
- Há! – Mostrando brevemente sua antipatia pela moça, ele batia algumas ‘palmas’ irônico. – Outra vadia pra ferrar de vez com a minha noite!
- Eu?! Não que isso Wesley!.. Só vim incrementar a historia.. Que na boa?! Tá cada vez mais viciante!
- Garota some da minha frente! – Nervosa Lorena a recebia agarrada aos cabelos.
- A proposito? Oque é que você tanto faz aqui a procura de vingança? Em? – Por trás do sofá velho, ele repousava as mãos no bolso. – Oque é que você realmente tem haver com o Felipe?


-.. E saindo de.. – Ela logo se alto corrigia. – Daquela casa o carro misterioso que ela de inicio veio dirigindo, me chamou de repente a atenção.. Talvez porque eu tivesse sem o meu, precisada de um taxi pra ontem mais.. Algo me fez abrir a bolsa. – Ele a escutava atento. – E de repente.. Não é que.. Aquela chave nunca vista, ou jamais tocada.. Reluzia. – Do lado de fora, a fina garoa caia. – Eu tava tão nervosa que.. Eu não ia voltar tudo, andar tudo, passar por cima de tudo, pra ter de ouvir tudo.. Outra vez, por ela.. Meu fracasso. - O tempo na cidade se intensificava. – .. Tirada essa conclusão eu nem pensei em mais nada que não fosse seguir o que meu coração pedia.. Você. – Por enquanto, ela mantinha seus olhos fechados. – E então.. Somei o restante das minhas forças e.. Entrei. .. Só que.. Mais rápido do que eu mesma pudesse imaginar, sabe? – Seus carinhos sobre ela, a fazia sentir-se cada vez mais protegida. – ..Minha cabeça parecia atordoada com a velocidade que meus pés e meus pensamentos podiam atingir. – Talvez fosse sua maneira de impedir as lagrimas. – Depois de alguns minutos de agonia.. Quando cheguei aqui em meio ao vazio da garagem.. O envelope no banco de trás gritava meu nome.. Mostrando no verso o mesmo sobrenome que o meu. – Ela girava no dedo, sua aliança. – E eu.. Eu tinha dado mais uma chance pra mim.. Eu tinha achado que tudo fosse se encaixar.. Minha decisão já tinha sido tomada, eu não ia.. Nunca mais, assim como antes.. Deixar mais nada de ruim entrar em mim!.. – Virando-se de frente a ele enquanto segurava uma de suas mãos, ela sentia na voz, uma pequena falha. – Mais.. Lendo tudo aquilo, pude perceber que após alguns instantes.. Meu mundo desmoronou em outra inesperada vez. .. Nele? .. Lá estava ela, só faltando me agradecer por eu ter arranjado, um teto. – Com ela próxima de seu colo, Diego logo buscava seu rosto a trazendo contra o peito. – E sabe o que mais me dói? Não é nem tanto o fato da independência conquistada pela eterna adolescente, Eva Messi. Mais sim, - Ela respirava fundo. – Diego, ela.. Se mandou e me deixou um carro de consolo, um carro Diego! Ela conseguiu passar de qualquer limite! – Roberta desgarrava dele com dificuldade, em meio às suas caricias que percorriam seu rosto. – Como se eu fosse uma criança! Que precisasse de algum presente pra esquecer qualquer que fosse a decepção!
- Você tem a mim. – Ele massageava suas mãos, a encontrando também pelos olhos.
-.. Eu sei. – Ela deixava escapar seu fraco sorriso. -.. Nunca ter tido um bom exemplo de mãe, sempre foi meu problema. – Ela ganhava seu colo, novamente.
- Ontem de manhã.. Conversei com ela. – Ele contornava seus cachos, delicado. 
– Por incrível que pareça.. Por mais espevitada que ela possa ser.. Na minha frente ela não esboçou nenhuma reação de que iria embora.. Apenas me pediu que cumprisse uma importante promessa..  
- Que você me fizesse esquecer que ten..
- Que fizesse de você, a mulher mais feliz de todo o mundo.
- Você já faz. – Ela aninhava-se ainda mais nele.
- Quando a discussão com a.. – Após alguns instantes de carinho, ele buscava através dela, mais detalhes de seu dia.
- Dessa vez nem se comparando com as discussões do Elite Way, por dividir o mesmo quarto.. Ela conseguiu dizer as piores frases que ela podia ter me dito em uma vida inteira.. – Sem dizer uma palavra, ele apenas a envolvia paciente.
- Lendo a mensagem eu não imaginei que ela pudesse ter ido tão longe..
- .. Completamente fora de controle! A única coisa que ela sabia fazer era mesclar me ofender com o gritar da suposta traição do Pedro..

- Pera, traição? Não, o Pedro é doido mais nem tanto!
- .. Mal sabe ela o verdadeiro culpado de todo esse mal entendido..
- O Franco? – Ele deduzia. – Então foi por isso que o Pedro foi embora? O Franco resolveu dar uma de detetive e..
- Os dois caíram no joguinho dele! – De punhos fechados, ela ‘saltava’ de seus braços. – Desligou feito um louco e à uma hora dessas deve estar metido em..
- Uma viagem dos sonhos para o nordeste brasileiro!..
- Tanta coisa acontecendo, e ele resolve curtir as férias!
- Ele foi esfriar a cabeça.. – Após deixar um beijo em sua testa, ele seguia até a cozinha em busca de controlar a sua sede. – Não tem como se pensar numa solução de neurônios fervilhando, ele tá certo..
- Não sei mais algo me diz que ele vai acabar fazendo besteira.. – Sentando-se outra vez, ela abraçava as pernas. –.. Você ai mocinho?!
- Fala.. - Ele fechava a geladeira.
- Sua vez! O que aconteceu pra você também tentar me esconder coisas?
- O bom e velho seu Leandro de sempre.. – Ele inclinava-se sobre o balcão, com a ajuda de seus cotovelos.
- Conseguiu falar com ele? Ele explicou tudo que te angustiava?
- Não. – Diego erguia as sobrancelhas. – Ele me deixou foi mais confuso e preocupado!
- Como assim?
- Roberta.. Você já pensou na possibilidade daquele desgraçado, tá vivo?

- Como?

- Mais foi exatamente o que eu vim fazer aqui! – Séria, ela respirava fundo de olhar fulminante. – Chegou dessa historia de quem vai comer na mão de quem!
 - Ah faz um favor?! Me erra garota! Olha bem pra mim e vê se eu tenho cara de quem vai ficar aqui te escutando! – Do outro lado, Lorena movia os braços sarcástica. – Rua! Fora! Já chega das suas burradas, seus sonhos mirabolantes com o irmãozinho desaparecido quando criança! Nem pra isca você serve! – Diana gargalhava baixo após o ‘’desabafo’’.
- Trouxas.. – Ela sussurrava.
- O que foi que você disse? – Ele franzia o cenho.
- TROUXAS! – Ela alterava repentinamente seu tom de voz. – VOCÊS, SÃO, TROUXAS!
- Olha aqui menina eu vou queb..
- VOCÊ VAI FICAR AI! – Wesley puxava Lorena violentamente por um dos braços a jogando logo em um canto mais próximo.
- Bom trabalho!
- DIZ O QUE VOCÊ TANTO TEM A DIZER!
- Olha o modo como fala comigo! – Ela o repreendia. – Não sabe de fato com quem na verdade está falando meu caro..
- A rainha da Inglaterra disfarçada de..
- Diana..
- Grande novidade!
-.. Araújo, - O sorriso irônico sumia do rosto. - muito prazer! – Ambos arregalavam os olhos. Ela estendia sua mão até ele, satisfeita.

Continua..

1 comentários:

Bianca Rodrigues disse...

++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Postar um comentário

Minha foto
Florianópolis, Santa Catarina, Brazil
Bem vindos a Web Novela Roberta e Diego. Viaje junto com agente na historia desse grande amor. Escrita por Gabriela Medeiros & Stefane Barcelos.