topbella

sábado, 1 de setembro de 2012

Capitulo 52 - A conturbada 'despedida'.

Na movimentada mansão do discreto condomínio, a manhã do tão aguardado domingo seguia agitada.
O cômodo tão bem conhecido por aguentar as mais variadas discursões, mantinha seu posto com unhas e dentes. É.. Seu posto!.. Até por que, aguentar tantas das famosas discursões poderia vir a ser então seu premio... E hoje, claro, lá estava ele... Aonde sempre há de estar... Era ‘’ele’’ o lugar da atração principal... O palco, permanecia lá pronto para mais um bate – boca indispensável por eles.
Nem o mais poderoso sono da redondeza, resistia aos ‘’suaves’’ berros protagonizados por ninguém menos que ela... Que agora, além de encarar a raivosa expressão do pai, observava os amigos sentados ao lado ‘’confusos e perdidos’’ por entre os passos dados pela tão séria e ao mesmo tempo 'escandalosa' madrasta.
A sala parecia pequena demais pra tão pouca sensatez...
- Como assim a Roberta sumiu? – Eva desfilava com seu robe esvoaçante.
- Calma gente, ela deve estar com o... – Após mais uma incontável interrupção, Carla havia definitivamente desistido.
- Até quando vocês tentariam me esconder tudo isso? Quem vocês pensam que eu sou? – Ela gesticulava por todo lado. – Já chega dela me tratar como se eu fosse mais um de seus amigos!
- Liguem pra Roberta imediatamente! – Franco assim como a mulher, também se mostrava impaciente.
- Eu te disse que dormir aqui acabaria na maior de todas as confusões... – No mais baixo falar possível, Carla se pronunciava agarrada ao namorado que ainda assim, em meio aquele problema, permanecia observando tudo, calado.
- To no meu limite! Não vou tentar nem mais uma vez! – Alice revidava sem ao menos medir o tom de voz. – Já fiz meus tão sonhados 18 anos, não preciso ficar aqui escutando seus impensados sermões! – O caminhar apressado fazia sua mão já deslizar o corrimão.
- Como disse? – Franco envermelhou aproximando-se. – Só não pense você que colocando a culpa nela se livrara da sua... Acredito que não sai perdendo. – Ele continuara firme. Pedro, por sua vez próximo a ele se mostrava tão surpreso quanto todos os outros sobre o comportamento da até então sensivel namorada.
- Ae?! Pode me dizer qual seria a diferença? – Do alto, ela o observa furiosa.
- Embora sejamos casados... Cada um aqui tem a responsabilidade sob seu próprio filho... Não me interessa a sua idade, eu sempre vou lhe cobrar o mínimo de respeito! Ele por incrível que pareça, segurava forte o nervosismo.
- Da pra parar com a imaturidade Alice? 18 anos?! Jura? – Pedro enfim reage após os minutos de silencio.
- A claro, a culpa é sempre minha! Grande novidade! Como podia ser diferente?! Você defendendo sua melhor amiga! – Ela bate palmas fechando a ironia com chave de ouro. – Que lindo, muito convincente!
- Você surtou Alice? Por que desculpa é exatamente isso que tá parecendo! – Carla caminha deixando alguns passos a desejar frente à escada.
- Liguem pra policia! Ela sumiu no mundo! Escutem o que eu estou dizendo! Ela sumiu! – Ela corre pelos corredores do piso superior.
- Alice! Nossa conversa ainda não terminou! Alice! Volta aqu... – Franco desiste em meio ao caminho após ouvir o forte bater da porta.
- Eu vou ligar mesmo vai que houve algum sequestro... Não pode ser possível tudo isso novamente não! – Ela busca desesperadamente o aparelho.
- Melhor esperar mais um pouco Eva.. – Carla impede suas mãos. – Quem sabe ela esteja com..
- Quando for mãe irá me entender! – Ela a deixa livre segundos depois.

Escorregando por de trás da porta, Alice desabava. Havia feito por muito tempo aquela ceninha do ''Pouco me importo''... O forte ‘nó’ na garganta seguia latejando em busca de liberdade.
Mais e todos aquelas falas? A pessoa então vivida em tão poucos instantes... Podia ter sido ela? ... Não, não podia ter sido ela.
Cena. Surto. Raiva. Angustia. Medo. .. Incluindo até mesmo a tal da preocupação... Afinal, o que a fez se passar por esse tipo de gente? ... Medo.
... Alice sentia Roberta já distante... Como se já soubesse seu novo endereço a partir de agora.
Na cômoda, a mais louca foto das duas chamava sua atenção. Naquele momento ela só queria seu ombro amigo de volta... Sem nem se importar com a maquiagem borrada em meio à bagunça do penteado...  Pouco lhe importava agora o tão lindo vestido amassado... Dana-se sua aparência louca... Seu pedido era pequeno, simples... Mais acima de tudo significativo... Ela só queria ela de volta.


Na principal avenida, o transito parecia fora do normal para aquela hora da manhã... Como se algo houvesse acontecido, tornando tudo mais difícil com o virar de tantas cabeças pra baixo. As buzinas constantes começavam a tirar qualquer um do serio... Bom quero dizer... Qualquer um que não tivesse tido um acordar tão magnifico... Qualquer que não tivesse tido a honra de ser acordado de uma maneira tão bela como a deles.
- Por mim agente ficava o dia todo em casa sem você nem precisar de roupa...
– Com as mãos firmes ao volante, Diego desvia o olhar por rápidos segundos até ela sem tirar o malicioso e meio sorriso do rosto.
- Ah eu não preciso?! – Mordendo o lábio inferior ela olha a janela deixando quase transparecer a vontade de te-lo ali e agora.
-... Sabe que eu gosto muito dessa sua timidez? – A imensa fila anda um pouco mais.
- Eu? Tímida? – Enquanto fala, ela cora.
 - É completamente envergonhada!
- Eu não sou tímida! Muito menos envergonhada! – Ela se ‘defende’ tocando suavemente seu nariz.
- O viu tá toda vermelha! – Eles riem.
- To nada seu bobo!
– Passados alguns instantes de tantas risadas dos mais variados tipos... Eles se entre olham pretendendo não esconder a partir de agora o desejo que consumia cada parte de seus corpos. Movidos pelo amor e pelo instinto... O brilhante olhar trazia consigo uma forte intensidade... Que ainda assim conseguia sem nenhuma dificuldade intercalar com a então ‘’vontade’’ que os corroíam, mais uma vez.
-... Você já deve saber disso mais... – Aproveitando o parar dos carros, ele vira-se até ela segurando seu rosto. – Eu te amo... Tanto que é... Como se eu dependesse de você... Só de você pra que eu possa ter ar pra respirar.
– Eles tocavam seus lábios.
-... Meu príncipe.. Que eu tanto amo... Cada dia mais. – ‘’Os olhos sutilmente se fechavam... As bocas encaichavam-se delicadamente, ainda assim lutando em busca do sabor mais...’’ – No mesmo instante, irritantes buzinas fizeram o triste trabalho de interromper o mais lindo de todos os beijos.
-... Então.. – Ele respirava fundo procurando o juízo, sem nem mais um pingo de controle sobre seus próprios atos.
- Então!.. – Ela fazia o mesmo disfarçando junto a paisagem vista por entre a janela. O esforço feito era pequeno se comparado ao tamanho da vontade de agarra-lo sem nem se importar
onde estavam.
- Já que a minha menina... Não é envergonhada.. Vamos conversar sobre... – O alto barulho ecoava pelos ares.
- Ué oque é isso? – Ela olhava ao redor.
- Acho que deve ser policia... – Ele olhava o retrovisor. – Os carros de trás estão dando passagem, né?!
- Sim estão... – Ela desvia um pouco da atenção, tirando o cinto. – Será que aconteceu algum acidente lá na frente?
– Roberta já olhava pra trás franzindo o cenho.
- Porque se tá tiran... – O inesperado impacto os emburra bruscamente. Levando as mãos à cabeça, Diego imediatamente chama por ela.
- Roberta! – Ele tira o cinto. – Pelo amor de Deus fala comigo! Roberta! – Ele busca seu rosto aliviado ao perceber o leve apertar de suas vistas. – Graças a Deus! – Ele a deita em seu colo. – Tá conseguindo me ver? Em?
- Ai! – Ela pressionava a cabeça com uma das mãos. – Eu... Eu to bem.. – Diego já observava nela, o pequeno corte acima da sobrancelha.
- Vai ficar tudo bem... To aqui. – Ele beijava sua mão em meio aos seus fervilhantes pensamentos... Quem seria o imbecil em ter feito isso? .. Deixa-la ali e socar o culpado?! .. Viria a ser uma das possibilidades se não fosse ‘ele’ quem deixasse tudo mais fácil vindo a sua procura...
- Solte a imediatamente!
– O policial batia com violência no vidro.
- Mais oque é isso? – A confusão o consome instantaneamente.
- Não! Não abre! – Roberta o traz pra si. – Eles vão te machucar, não vão entender!
– Faz o que eu to mandando! – Ele mantinha as ameaças por um fio de pronunciar
a pior delas.
- Calma olhos lindos... – Ele segura seu rosto. – Eu saio, explico tud.. – As mãos dele já sacodiam a trava.
- Não! Diego! – Ela segura seus braços. – Fica aqui! Por favor, fica! – Enquanto falava, ela buscava seus olhos. – Deixa que eu saio!
– Você está preso! – De olhos arregalados, ela o vê escapando no mesmo instante.
- Não! Volta!
- Tentativa de sequestro! – A porta se abre rapidamente causando um susto inevitável ao ‘destemido’ homem que já o via de ‘’mãos ao alto’’.
- Não é o que estão pensando! – Ele então fala coberto pela coragem.
- Tudo não passa de um mal entendido! – Firmando-se ao volante, Roberta percebia logo o tão atrapalhado ‘moço’.
 – Quando que eu sequestraria minha própria namorada? – Estendendo a algema, o ‘valente’ homem para um instante a olhar o amigo.
-... Namorada? – Ao fundo, o motorista da viatura enfim se pronuncia. – Bom.. Até que vocês são muito parecidos com o casal daquela... – Aos poucos, ele parecia encontrar as mais valiosas informações. – Fred espere um pouco... Eles não são os integrantes daquela banda? – O boné sobre a cabeça, mantinha sua face tão pouco escondida.
- Enfim uma pessoa contendo um cérebro! – Ela já não media suas palavras.
- Roberta! – Diego pensava nas consequências.  
- Ah claro! E eu sou o Thiago Lacerda! – O valentão Fred tirava onda a torto e a direito.
- Novelbes... - Estalando os dedos, ele parecia acelerar a tal da caixa craniana. - Tchuelves... Duneldes.. – O nome estava quase habitando sua ponta da língua.
- Tipo, Rebeldes?! – Esfregando o rosto, ela já parecia sem paciência.
- É, é! Isso mesmo Rebeldes!
- Caraca são vocês? – Diego ainda o encarava. – Nossa, meus filhos são fãs numero um! – Fred enfim baixa a guarda. – Então és, Diego Maldonado? – Ao ver o completo mal entendido, todos se aproximam os deixando realmente calmos.
- Muito prazer! – Estendendo a mão, ele ironiza junto com um sorriso amarelo.
- Nos desculpem estávamos apenas cumprindo ordens. – Enquanto o cumprimenta, Fred recoloca o cassetete na cintura.
- Quem foi que mandou vocês até aqui? – Ele unia suas mãos nas dela, beijando o topo de sua cabeça.
- Todo mundo sabe que agente sempre tá junto... – Abraçada a Diego, ela já respira fundo sabendo da resposta. – Ah claro! Quem mais poderia ser?!
– Já imaginando quem seja, ela o olha furiosa.

Sentada ao lado de Tomás, Carla seguia classificando toda situação como um total exagero.
- É uma besteira atrás da outra! – Ela ajeitava as sandálias.
- Minhas filha estamos lidando com Eva Messi, a rainha exabesteiro! – Ao contrario da complicada e inventada palavra, Tomás voltava a ser quem era aos poucos.
- Exabesteiro?! – Ela arque-a as sobrancelhas. – Que isso menino?

- Nossa se tá precisando se atualizar em... ‘’Exabesteiro!’’ – Ele faz aspas debochado. – A simples mistura de ‘besteira e exagero’!
- Você demorou pra voltar, mais também quan...
- De quem foi a brilhante ideia de chamar a policia? – Com um pequeno curativo, Roberta anunciava sua chegada com a maior de todas as batidas. – Não porque eu quero salda-lo aqui, na frente de todos! Batendo uma porção de ‘salma’ de palmas! – Nessa altura do campeonato, Diego nem ousava lhe pedir calma.
- Filha! – Sem dar a mínima as palavras da rebelde, Eva corria de braços abertos.
- Nem vem que hoje eu não quero te ver nem pintada de preto! – Ela se afasta ainda seria. – Que ideia foi essa mãe?! Você.. Vo..
- Que isso Roberta! Eu aqui preocupada com..
- Preocupada?! – Elas se encaram. – Já ficou sabendo a roubada em que você nos fez passar? – Conduzido pela gritaria, Franco então se mete.
- Eu exijo respeito dentro dessa casa! Olha você a situação que causou a todos nos!
- Quem você pensa que é? Meu pai?!
- Tá vendo mais alguém aqui que represente ele assim como eu? – O rosto de Roberta fervilhava com a raiva tão conhecida como ‘’momentânea’’.
- Não preciso dar satisfação pra ninguém! Ninguém é dono da minha vida! – Ela gritava olhando nos olhos do bravo Franco.
- Aonde vocês se meteram? – Aproximando-se de Diego, Carla junto ao namorado começa o interrogatório.
- Não posso deixar ela sozinha nessa discussão! – Decidido, ele logo é impedido por Tomás.
- Ela precisa enfrentar isso...
- Ao meu lado... Junto comigo!
– A gritaria se mantinha forte, trazendo logo Alice e Pedro para compor a ‘plateia’ no topo da escada.
- Enquanto você, - Ele ‘espumava’ agarrando bruscamente seus braços. – morar debaixo do meu teto, - Em meio as falas, Diego se aproximava irado. – você vai, ah vai com certeza vai me dizer seus passos!
- Larga ela! Agora! – Ele a puxa em sua direção. - Vai bater nela agora?! - Ele sorri irônico. - Bate, bate pra você ver o que te acontece!
- É assim que funcionam as minhas regras! E você garota já passou de todos os limites! Se for pra ser assim..
- Oque foi isso? Você enlouqueceu Franco?
– Eva permanecia de queixo caído.
- Eu.. – Ele hesita recobrando a consciência. – Eu só disse a verdade!
- Ótimo! – Assustada,
ela se esforça ao máximo... Sem deixar que a sensação tomasse conta de seu rosto, vindo a ser sua tão triste e atual expressão. – Não precisa repetir duas vezes ‘’papai’’... Afinal foi pra isso mesmo que vim até aqui!
- Ela não vai mais precisar levar sermão de ninguém! – Com um passo a frente, Diego volta a encara-lo tomando conta das palavras, a enchendo de orgulho. – Chega de vocês controlando nossas vidas! Chega de vocês nos dizendo o que fazer! – Alice observava tudo do alto da escada, preparando-se pra ouvir assim como os amigos ali presentes o que tanto temia. – Eu e a Roberta... Nos dois... Vamos morar juntos! – O silencio por alguns instantes toma conta de todo o espaço, deixando apenas às respirações a flor da pele bem destacadas. - Vou enfim
tira-la daqui! Desse poço de loucura!
- Não precisa me dizer mais nada... Ainda sei o caminho do meu antigo quarto... Só me dá dez minutos pra fazer a mala. – Emocionada, Eva buscava seu olhar.
- Roberta.. Filha! – Ela já havia passado por ela como um furação.
- Robs! – Carla e Tomás falam em coro seguindo os passos
da amiga.
Nesse momento sozinho na sala com Diego, Franco parecia sem reação diante da bela atitude do moço.
- A partir de hoje... Você nunca mais fala com ela assim na minha frente. Espero que tenha aproveitado bem sua ultima vez... – O encarando por segundos, Diego corre em busca
da namorada.
Entrando no quarto junto as lagrimas, ela tenta não se deixar abater... Até por que, desde o principio ela sabia os obstáculos que teria de enfrentar.
- Não... Não vou deixar ele me derrubar desse jeito... – Ela repetia a si mesma encontrando o ar.
- Amiga.. – Carla pedia licença.
- Entra Carlinha.. – Debaixo da cama, Roberta já avistava as socadas malas.
- Vem cá.. – Ela mostrava um sincero abraço.
- Bom te ver.. – O tremendo ‘nó’ na garganta então, volta. – Sei que vocês estão do nosso lado... Do lado da nossa felicidade... – Carla já acariciava seu rosto. – Eu preciso dele.. Preciso ter ele perto de mim pra ser feliz..
- Isso é pra ser uma despedida? – A lagrima mais teimosa de todas insiste em cair.
- Da nossa amizade?! Nunca.. – Ela deixa escapar um meio sorriso. – Daqui? Com certeza. - Ela olhava ao redor. - Só não esquece que vocês vão poder nos visitar quando quiserem!
- Disso você tem alguma duvida?! - Elas riem junto a emoção. - ... Te desejo toda sorte do mundo nessa sua nova fase... Que dará tudo certo, tenho certeza. – Elas se abraçam forte por inúmeros instantes, mais uma vez.
- Então é verdade... – Enrugando o vestido, Alice aparece em meio a porta inconformada. – Vo.. Você vai embora
mesmo?

Continua...

7 comentários:

moonlight disse...

posta mais por favor
amava tanto que a Roberta estivesse grávida do Diego...

Anônimo disse...

tb amava se ela estivesse grávida moonlight, eles já sofreram demais merecem ser recompensados, uma vida nova, uma familia...

posta mais por favor,

Sophia Esteves

G.S MISSÃO I.M.A.G.I.N.A.Ç.Ã.O disse...

Vamos postar sim amores! fiquem tranquilos não podemos contar as novidades mais iram gostar temos certeza! Beijooos gigantees!!

Anônimo disse...

posta mais

:) DANNY :) disse...

oi meus amores volteiiiiiiiiiiiii... o cap esta muito bom amei a forma como o diego enfrentou o franco..estou super curiosa pra saber o proximo cap. mais uma vez está perfeito PARABENS

Anônimo disse...

posta mais

Anônimo disse...

++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Postar um comentário

Minha foto
Florianópolis, Santa Catarina, Brazil
Bem vindos a Web Novela Roberta e Diego. Viaje junto com agente na historia desse grande amor. Escrita por Gabriela Medeiros & Stefane Barcelos.