topbella

domingo, 16 de setembro de 2012

Capitulo 58 - O surto de um rebelde.

... O confronto ‘’bem e mal’’... Eles caminham lado a lado. E sim, nos rodeiam a todo instante onde quer que você esteja. .. E o que elas ganham com isso? .. Por mais ‘sábios’ que possam ser, nenhum pensa as consequências de seus atos. Mesmo obtendo a mais alta inteligência. .. Afinal de contas, como não saber quem nesse jogo sai perdendo?... .. Fugidos, brigados, traídos, mal vistos e‘amados’... Por mais absurdo que possa parecer, ainda a pessoas que escolhem esse caminho, a fim de formar seu ‘sonhado’ destino. ... Cada um, com seu modo, em alguma parte do mundo, tão perto de nos... Resgata criatividade o suficiente, criando assim seu mais habilidoso ‘novo’ jeito de.. Atrapalhar nossas vidas. ... .
...[‘’- Eu... Consigo vê-los.. Mais ainda não, ouvi-los. As asas brancas, aquela as quais lhe disse, lembra? .. Elas impedem, me impedem!.. Não posso nem ao menos, toca-la, senti-la.. Elas impedem qualquer tipo de passagem, até eles. E cá entre nós?... Quantas saudades dela!. ..E agora, me deixe olhar um pouco mais você, hum?.. Você cresceu!.. Pude perceber que não foi tão complicado chegar até aqui, não? ..Oi? .. É, é.. Parece que me ‘trancaram’ numa espécie de corredor, sabe?.. Como ele é? O corredor? .. Branco, e de repente, escuro. ..Será a voz? .. Aquela voz de novo, DIANA!.. POR QUE? POR QUE? ..A CULPA DISSO TUDO É DAQUELE DESGRA.. TODA DELE! A CULPA É DELE!.. ME TIROU DAI! A TIROU DE MIM! .. POR Q.. Por que você chora? .. Ah, você não quer que eu, grite? É isso?.. Então escute!.. Mais uma vez ela ecoando por entre a luz!.. Não me deixa em paz! Faça parar! .. Faça parar! .. Diana, você a pode ouvir? ..Veja, ela insiste em me levar pra longe, em me tirar daqui!.. NÃO! NÃO ME PEÇA ISSO, NÃO ME IMPLORE CALMA! ..Eu não quero ir... Você sabe que.. Eu não posso ir. .. Me prometa que dessa vez tudo vai dar certo? .. O que disse? Que.. Que tentou? Então.. PARA! PARA! Sem desculpas, APENAS PROMETA! PROMETA COMO ANTES!.. Faça novos planos como eu faria.. USE MINHAS IDEIAS, GAROTA! .. Ou você.. Perai.. Não quer se vingar? .. Você.. Não!.. Você não pode!.. Ou pode?! Achar que.. ACHOU MESMO CERTO O QUE AQUELE IMBECIL FEZ COMIGO? ACHA MESMO BOM O LUGAR QUE ESTOU AGORA? ..CHEGA DE CHORAR! DIANA PROMETA! ELES SÃO MUITOS, NÃO POSSO SOZINHO! AQUELE VELHO OS DEIXA RODEADO POR MUITOS DELES! ESTÃO SOBE PROTEÇÃO! ..CO.. Como? Você prometeu? .. Não.. Não diga isso.. Sei que dessa vez, não irá estragar tudo. E sim.. Eles.. Por aqui todos sabem de minhas intenções! .. Olha, e vi que você os encontrou.. Os dois iram lhe ajudar.. Ela sabia muito bem o que eu queria.. Só diga a eles que não devem esperar mais.. Esse.. Esse pode sim ser o momento certo.. Já que não posso voltar, quero que... Vocês, vocês três.. Tragam ela até mim, o mais rápido possível... Sei que ainda existe alguma forma dela ser minha... Só minha.’’]..

- Ahh! – Após se debater sobre a cama tirando um inofensivo 'cochilo', a garota senta aliviada livrando-se do temido pesadelo. -.. De novo, meu Deus não.. – Com as mãos firmes sobre o peito, ela sentia as fortes batidas do coração. – Lorena! – A velha cama rangia em meio à brusca saída dela.


- Oh ideia de girico essa sua, não? – Em meio ao sinal fechado, Diego segurava firme o volante ao lado do amigo. – .. Me tirar de casa numa hora dessas... Só você mesmo! .. Além de taxi existe ônibus, sabia?
- Tenho certeza de que ela ficou agradecida por se livrar de você ao menos por algumas horas.. – Sem encara-lo, Tomás admirava a janela.
- O engraçado é que você briga com a Carla e.. – Ele logo fingiu não ouvir sua ‘fala’.
- Se eu te pedi pra dar uma volta, significa que eu quero conversar sobre outras coisas, não acha? – Ele finalmente o olhou, irritado.
- Não, não.. Você me pediu pra pegar sua Vó no aeroporto, bem diferente!.. – Sorrindo irônico, Diego apoiou um dos braços sobre a janela.
- Ótimo! .. Dá pra realizar a tarefa calad.. – O barulho das buzinas alheias parecia ensurdecedor. – Ah quer saber? Deixa de drama, meu filho!.. Afinal de contas pra que servem os amigos?..
- Quer mesmo que eu te responda? .. – Diego ajeitava o cinto, enquanto ele fazia o mesmo. – Não porque se eu começar a falar, acho que não vou parar mais! – Seu olhar ‘indigno’ sobre ele, pesava. – Mais então.. – Ele respirava fundo, debochado. – Sobre o que quer conversar?
- Eu fiz uma burrada. – Ele é rápido.
- Serio? – Diego o encara, ‘surpreso’. – Por essa eu simplesmente não esperava!..
- Nossa como tá engraçadinho gente, olha só..
- Vai falar ou não vai? – Ele observava o garoto buscando algo no bolso.
- Acho que... – Com o telefone em mãos, Tomás procurava ali a melhor e mais explicada pagina de fofocas da internet.
- O que você tá fazendo? – O transito a partir de agora fluía normalmente. – Não me diga que eu também vou ter de ligar pra Carla e consert...
- De novo falando dela? Ah Diego! Que parar de ser chato? Custa me fazer um favor e.. – Ele inclinou-se imediatamente lendo as placas. – Perai, perai.. –Ele baixou o vidro, enfrentando a estrada como um louco. – Eu pedi pra me levar no aeroporto e não pra dar uma voltinha na fazenda! – Ele arqueou as sobrancelhas junto ao sorriso ‘torto’ do amigo.
- Vou buscar meu avô, na casa dele. – Olhando a estrada atentamente, ainda com o rabo de olho enxergava sua ‘fúria’. – Ah e nem adianta ficar bravinho!..
- Ah não, claro que não! – Ele fingia a calma o deixando esperar pela sua voz, por mais alguns instantes. – Só da pra explicar o porquê dele ter de ir junto?
- Tá com ciúme da dona Ofélia? – Ele gargalhou baixo.
- Que ciúmes? Tá maluco meu filho?! .. Minha Vó n...
- Vai dizer o que tinha pra falar? – Diego o olhava, apertando as vistas. – Ou você é mais louco do que eu imaginava a ponto de esquecer o que disse a menos de trinta segundos atrás? – Ele acionava a ‘seta’ em meio ao virar da curva.
- Tá mais na boa.. Por que buscar ele? – Tomás brincava com as mãos.
- Precisamos conversar. – No falar rapidamente, o celular parecia vibrar no bolso.
- Olha não me leva a mal mais.. Desde aquele dia na formatura..
- Se arrependeu de ter tocado no assunto? – Cabisbaixo, enfim Tomás lhe estendia o aparelho, decidido.
[..‘’O surto de um Rebelde!’’] – Em meio a BR, seu olhar pulsava e sua atenção era sim dividida. .. Mesclada entre carros, textos, motos, fotos e vultos... Perai, vultos?! -.. Percebeu que o.. – As sensações se misturaram. .. Surpresa? Sim. Ela realmente se destacava mais perante todas as outras. – O titulo combinou muito com você? ‘’O surto de um Rebelde!’’ – Nervoso, Diego conseguia manter seu sarcasmo. – Parabéns! Arruinou a banda! – O aparelho logo se chocou contra ele. – Você bebeu? Não porque só pode ter sido isso! Que protesto foi esse, vai me conta!
- Chega Diego! – Assim como o amigo, ele também se alterou. – Foi por isso mesmo que eu sai de casa, ela m..
- E ela tá coberta de razão! Você.. Você praticamente jogou nosso bom senso na lata do lixo criatura! – Involuntariamente, seu pé pisava cada vez mais fundo o acelerador.
- PORQUE NÃO FOI NO SEU ORGULHO QUE PISARAM! – Ele socou o banco, no mesmo instante.
- Já me fizeram coisas muito piores Tomás, pode ter certeza. – O punho mantinha-se firme e fechado sobre a buzina, após o desvio acelerado de um motorista inconsequente que quase choca-se contra eles.

- Caído no chão.. – O susto sentido podia ter sido muito bem calculado através de suas fortes respirações. – Eu pude ver a mesma garota... Falando com o... – Parados no acostamento, ao lado eles eles respiravam fundo a fim de manter a calma. – Pedro. – Diego que instantes grudava a testa ao volante, ainda de olhos fechados, franziu logo o cenho.
- ...Você.. Tava por perto aquele dia?
- Eu a vi mentindo descaradamente pra ele... Sem poder fazer absolutamente nada. E eu... Tenho certeza que foi ela quem mandou aquele e-mail pra Roberta e.. Naquele dia também pude descobrir que foi ela que me manteve ‘preso’ no corredor enquanto a Carla me olhava... A mesma garota de todas as situações.. Sempre a mesma.

- Pedro! – Sem paciência pra esperar a chegada do elevador, ela ‘corria’ ao descer bruscamente as escadas. – Não.. Desliga dessa vez ok, só.. Ela não faria isso com você, sei disso! Me escuta! Foi ele, o Franco ele
.. Pedro! – Ela parou como olhar distante. – Droga! – Ainda faltavam uns bons passos até o térreo. – Desculpe! – Sem nem olhar os lados, era como se tivesse atravessado por entre a ‘inocente’ senhora. – E o Diego que não me atende... Rápido, vamos lá... – Já em frente aos portões do prédio, aflita ela caminhava de um lado e outro.
‘’Roberta!’’ – A leve buzina é pressionada.
- Carla? – Inesperadamente, ela acenava em meio ao veiculo preto.
- Vem logo menina! – Ela tira os óculos escuros. - Agente tem m...
- Voa pra Alice, agora!.. – Vê-la ali, a uma hora daquelas, sem avisar... Podia mesmo ser boa coisa?
- Oque aconteceu? - Ela acionava a chave do carro novamente. - Pensei que fosse eu que iria lhe contar novi...
- O Franco! Rápido!
- Se você me explica..
- Só não discute comigo numa hora dessas, por favor!..

Continua...

6 comentários:

Anônimo disse...

++++++++++++++++++++++++++++++++++
Sophia

Anônimo disse...

tava com saudades
posta mais

moonlight disse...

mais pf

Anônimo disse...

maaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaais bjs Duda

G.S MISSÃO I.M.A.G.I.N.A.Ç.Ã.O disse...

Vocês vão ter sim amores, muito mais!! Bjssss, muitos beijos!

:) DANNY :) disse...

simplesmente lindo,anciosa pelo proximo cap

Postar um comentário

Minha foto
Florianópolis, Santa Catarina, Brazil
Bem vindos a Web Novela Roberta e Diego. Viaje junto com agente na historia desse grande amor. Escrita por Gabriela Medeiros & Stefane Barcelos.