topbella

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Capitulo 21 - Como vou viver sem você?


Roberta tenta se livrar sem sucesso e Wesley a machuca cada vez mais.
- Roberta! Solta ela seu animal! – Alice fala se levantando do chão depois do tombo que levou com Carla.
- Soltar ela?! Sem chance queridinha enquanto não fizer o que tenho que fazer com ela!
- Chama a policia Alice! – Carla grita desesperada.
- Eu não sei qual é o número daqui e também esse café tá deserto! – Ela olha ao redor.
- Tão linda.. tão gostosa.. e vai morrer tão cedo que pena.. – Wesley alisa a cabeça de Roberta com a arma.
- Para com isso Wesley, por favor, como você pode fazer isso.. enganar agente.. – Carla chora vendo a situação de Roberta.
- Solta ela, pelo amor de Deus.. – Alice chora desesperadamente.
- SAEM DAQUI! SAEM!! SE VOCÊS NÃO SAIREM ATÉ EU CONTAR TRÊS EU ESTOURO A CABEÇA DELA AGORA! ANDA! – Wesley fala enfurecido espumando de raiva e continua fazendo Roberta chorar gritando. – 1... 2... – Vendo que ele estava decidido as meninas saem correndo não deixando de olhar pra trás vendo o desespero de Roberta.
- Medrosas! – Wesley solta gargalhadas. – O que que tem demais né uma simples balinha entrar na sua cabecinha?! – Ele roda arrastando ela pela calçada.
Diego vai entrando em alta velocidade pela rua e já avista a cena desesperadora. – Não meu Deus não! – Ele freia o carro na mesma hora fazendo Roberta levantar a cabeça sussurrando emocionada. – Diego..
- EBAA!! Chegou o ator principal! – Wesley sorri irônico. – Diego sai na mesma hora do carro indo na direção de Roberta cheio de lagrimas nos olhos.
- Tira ela dai.. por tudo por favor eu te peço isso.. tira me coloca no lugar o Felipe me ligou e é a mim que ele jurou vingança.. – Diego se aproxima segurando no rosto de Roberta que estava sendo quase sufocada.
- Quais são suas ultimas palavras Roberta Messi? – Wesley olha para Diego sorrindo como se não tivesse ouvido o que ele tinha dito.
- Eu te amo.. – Ela fala chorando a todo o momento.
- Own que bonitinho!
- Não, não, não, não faz isso comigo, por favor, não tira ela da minha vida.. vai atira em mim me mata mais tira ela daqui sã e salva.. – Ele faz carinhos nela chorando desesperado, completamente emocionado com as palavras de Roberta.
- Sai daqui meu amor sai.. eu vou te proteger.. sempre.. – Roberta cola no rosto de Diego chorando muito.
- Minha vida não fala isso.. para por favor.. eu vou te tirar daqui.. eu te amo.. – Ele segura seu rosto misturando suas lagrimas com as dela.
Wesley puxa Roberta bruscamente pra trás a machucando, matando Diego cada vez mais por dentro. – Tô com vontade de vomitar sério! – Ele ironiza mais uma vez.
- Não faz assim.. tira ela dai.. – Wesley atira muito perto de Roberta quase fazendo o tiro pegar de raspão ela grita desesperada deixando Diego correndo na direção deles gritando seu nome. É quando ele percebe a presença de dois rapazes atrás de Wesley, é então que Diego se certifica que é Tomás e Pedro.
Pedro faz sinais pra Diego e ele entende perfeitamente.
- Vem meu amor.. . – Diego sussurra esticando os braços pra pegar Roberta.
- Se você se aproximar mais.. eu atiro.. – Ele ameaça. Quando Wesley menos espera Tomás o pega por trás e Pedro vai logo tirando a arma da mão dele. Diego só corre em direção de Roberta se curvando sobre ela a protegendo, tirando ela rapidamente dali. Os meninos o empurram e o amarram o jogando pra trás de um arbusto.
Diego abre o carro e coloca Roberta sentada ao seu lado. Os meninos vem correndo logo atrás entrando rapidamente. Diego arranca com o carro que chega a cantar pneus.
Com uma das mãos segurando forte o volante Diego procura a mão de Roberta e a segura firme.
- Você tá segura agora meu anjo.. – Ela olha pro namorado ainda chorando muito.
- Bora, bora, bora Diego! – Pedro fala olhando pra trás.
- As meninas estão bem ali! – Tomás aponta sobre o banco. Diego freia em seguida.
- Vem rápido! – Pedro faz sinais pra elas. Elas entram com os olhos arregalados perguntando por Roberta.
- Ela tá aqui graças a Deus, tá bem.. – Diego fala desviando o olhar pra ela ainda segurando uma de suas mãos.
- Ela tá toda branca, gelada.. ela tá tremendo Diego! - Alice fala preocupada.
- Ela vai desmaiar! – Carla avisa.
Diego para o carro rapidamente e eles trocam de lugar voando, Pedro assume o volante ao lado de Tomás, as meninas continuam atrás. Diego entra com Roberta revirando os olhos em seu colo.
- Tá tudo bem agora, fica aqui comigo.. tudo vai melhorar meu amor.. – Ele a abraça forte passando o calor de seu corpo pro dela.
Roberta permanecia em estado de choque e se tremia muito, com a respiração completamente descontrolada.
- Tá atacando o sistema nervoso dela.. – Alice sussurra colocando a cabeça sobre seu joelho.
- Agente precisa urgente trocar de hotel! – Pedro fala acelerando cada vez mais a velocidade.
- De hotel, de cidade, de pais! – Tomás completa.
- Ele com certeza não vai ficar lá por muito tempo.. – Carla fala se segurando no banco.
- E agora o que agente vai fazer?! Continuar aqui ou voltar pro Brasil? – Alice assusta Diego.
- Não! Voltar pro Brasil nem pensar! O Felipe ameaçou matar.. – Diego olha o estado da namorada e a abraça mais ainda. Eles entendem o recado.
- Babaca! Deveriam é matar ele! - Pedro se revolta.
- Eles na verdade! – Tomás relembra.
- Vai indo pro hotel, agente pega nossas coisas e até lá agente resolve pra onde agente vai! - Aconselha Carla.

Chegando ao hotel Pedro vai até a recepção fechar a estadia enquanto os outros vão recolher as coisas.
No quarto de Roberta e Diego, ele a ajeita na cama, muito perto de sua boca os dois se olham nos olhos depois de tudo que aconteceu. Um pouco mais lucida Roberta passa a mão sobre o rosto dele dizendo.
- Meu anjo da guarda.. – Ele sorri.
- Descul.. – Ela o interrompe.
- Não precisa me pedir desculpa, eu percebi que o Felipe tinha feito alguma coisa assim que eu coloquei os olhos naquele cara..
- Eu não te contei porque eu não queria te assustar.. eu fiz isso pra tentar te proteger.. mais acabei piorando as coisas..
- Para de falar isso.. você não teve culpa..
- Mais se eu tivesse te avisado, conversado com você agente não teria discutido..
- Eu me arrependi de ter discutido com você..
- Eu também..
- Eu te amo muito..
- Eu te amo meu anjo lindo.. – Diego se aproxima ainda mais de Roberta e a beija fortemente.
Sem a intenção de interromper o momento Carla entra derrepente. – Ai! Desculpa.. – Ela vai se voltando pra trás. Saindo do beijo Diego olha sem graça pra Carla e fala. – Tudo bem.. – Roberta só abaixa a cabeça.
- É que eu vim chamar vocês pra gente ir logo, não podemos perder muito tempo..
- Já resolveram pra onde agente vai? – Diego termina de fechar as malas.
- Agente vai pra uma pousada no interior da França.. – Carla ajuda Roberta a pegar uns pertences no banheiro.
- Você recebeu a ligação de novo? – Roberta pergunta preocupada.
- Não.. pode ficar tranquila.. – Colocando as malas em frente à porta ele volta até a porta do banheiro e continua. – Eles já estão prontos?
- Sim estão esperando na porta do hotel.. rápido vem agente precisa sair daqui logo.. – Não conseguindo desgrudar e Roberta por um segundo Diego pega em uma de suas mãos e eles descem desesperados tentando achar uma saída pra solução de mais esse problema. Felipe não conseguia desistir de Roberta mais já tinha percebi que separar o casal com mentiras não ia funcionar, podia ser uma coisa só de momento passageira, então ele decidiu ser radical e atrapalhando a viagem ligou pra Diego ameaçando de matar Roberta,  tendo a certeza de que seu  ponto fraco é ela. Agora definitivamente ele tinha ido longe demais.
- Vamos?! – Tomás olha pros amigos ainda espantado com tudo que tinha acontecido.
- Vamos.. seja o que Deus quiser.. – Alice abre a porta do carro e já vai entrando.

Wesley se rebate, se movimenta como um louco tentando tirar as cordas. De tanto tenta consegue se livrar e logo vai pegando o celular falando feito um desesperado. – Desgraçados conseguiram levar viva a princesa do mestre! – Ele disca bufando de raiva.
- Alô?! Mestre.. então.. – Ele nem sabe como dar a noticia para Felipe e faz rodeios.
- Fala logo seu imbecil! E ai quando é o enterro?! Ahh e claro o Diego não aguentou a dor e morreu também! Nossa isso ia ser bom demais imagina dois coelhos com apenas uma cassetada.. – Felipe anda em volta da cela falando sem parar nem deixando Wesley terminar.
- Bom Felipe.. queria muito poder te dizer isso mais eles conseguiram salvar ela.. eles fugiram!
- OQUE?! VOCÊ NÃO PRESTA PRA NADA MESMO SEU IDIOTA, PASPALHO! – Felipe num ato de fúria e revolta joga o celular longe o estraçalhando deixando cair pedacinhos minúsculos no chão. – Filho da mãe conseguiu salvar ela... ahh mais ele não perde por esperar! – Ele agarra a grades e as aperta com toda sua força.

A madrugada chega com eles ainda dentro do carro viajando em busca do sossego. Pedro revessava com Tomás o volante já que Diego só tinha olhos pra namorada que havia pegado no sono sobre seu colo. As meninas também já tinham pegado no sono e em meio a carinhos que fazia em Roberta Diego conversa em tom baixo com os meninos pra não acordar elas.
- Eu ainda acho melhor agente voltar pro Brasil.. – Pedro curvava a cabeça tentando ler as placas no escuro.
- Não, tira essa ideia da cabeça! Aquele desgraçado a ameaçou e eu sei que ele é capaz de qualquer coisa.. mais se vocês preferem assim voltem que eu sigo viajem com ela..
- Mesmo se agente quisesse agente ia voltar como andando?! – Pedro não perde a piada.
- Tá louco, amigo é pra todas as horas! Bem capaz mesmo de a gente deixar vocês aqui nesse estado.. – Tomás fala com a cabeça virada pra trás. Pedro concorda. – É isso ai!
- Brigado.. – Diego e Tomás batem as mãos.
- Olha se for aqui agente acabou de chegar em nosso destino.. – Pedro franje o cenho não entendo muito que a placa dizia.
- Nossa que bom então.. lugarzinho longe esse em..  –Tomás se inclina e também tenta ler a placa.
- Tá difícil de ler.. alguém vai ter que ir lá pra perguntar.. – Pedro volta sua cabeça pra eles novamente, depois de ter quase se jogado da janela pra ler.
- Bom eu não vou.. – Diego beija a cabeça de Roberta.
- Ah engraçadinho! Deixa que eu vou.. – Tomás tira o cinto e vai abrindo a porta.
- Vai lá, vai lá.. – Pedro da força ao amigo.
- Olha lá nosso garoto Pedro.. tendo atitude que bonitinho! – Eles vão recuperando o bom humor, tentando tirar os problemas da cabeça.
Tomás volta depois de alguns instantes em meio a risadas, arrancando perguntas.
- Que é o palhaço?! Só sabe ri só isso! – Pedro aponta pra Tomás observando ele sentando de volta no banco.
- E ai o que que falaram? – Diego cutuca o ombro de Tomás.
- Olha meus garotos.. temos duas alternativas..
- E quais seriam elas? – Pedro bate as mãos.
- Ou agente dorme no carro... ou dormimos nesse maravilhoso motel Frances! – Tomás aponta para o lugar.
- Oi?! – Diego e Pedro se olham risonhos e confusos. – Como assim aqui não era pra ser a pousada?! – Pedro pergunta.
- É era.. mais o cara que eu perguntei é Brasileiro e me explicou que aqui os Franceses tem o costume de chamar de pousadas motéis!
- Elaia! Diego fala debochado.
- E agora? O que que agente vai fazer por que me parece que não tem mais nenhum ‘’hotel’’ por aqui!
- Olha Pedro.. somos maiores de idade.. temos nossas namoradas.. – Diego o interrempe debochado. – É falou certíssimo até a parte de ‘’temos nossas namoradas’’, eu e o Pedro sim.. agora já você eu não tenho tanta certeza!
- Nossa Diego obrigado, tô me sentindo muito melhor agora.. serio!
- É o Diego tem razão.. você foi o próprio a falar que tinha brigado feio com a Carlinha...
- Tá mais agente vai se acertar..
- E o melhor lugar seria.. MOTEL! – Na ultima palavra Diego sussurra provocando o amigo.
- Nossa como vocês são chatos.. me diz serio como a Roberta te aguenta?! – Ele lança um olhar pra Diego. – Agente se ama!
- Mais e você também o Pedro você e a Alice não tinham brigado?
- Briguinha boba.. agente faz as passes rapidinho ainda mais nesse clima.. – Pedro olha pro lugar.
- Nossa que clima em.. fuga! Melhor impossível!
- Tá mais tipo na entrada eles vão ver que elas estão dormindo.. será que não vão ficar pensando que sei lá agente deu alguma coisa pra elas beberem? – Diego pergunta preocupado já cansado de tanta complicação, não estava nem um pouco a fim de entrar em mais uma.
- É fato! – Eles concordam.
- Ah mais acho que não vai ter nenhum problema.. – Tomás fala pensativo. - Afinal eles vão ter até lucro com agente.. são três casais cada um no seu quarto!
- Ah não Tomás magina.. agente vai dormir tudo juntinho! – Pedro tira uma com a cara dele.
- Sério?! – Tomás se espanta.
- Claro que não né o Pedro tá zoando! Era só o que me faltava!
- Então.. partiu?! – Pedro liga o carro novamente.
- É né fazer o que é em cada uma que agente se mete.. quero vê as meninas acordarem e descobrirem aonde elas estão em.. – Diego relembra.
- Ai, ai só quero vê até explicar..
- A guerra começa Tomás, a guerra começa! – Pedro com uma das mãos bate no ombro de Tomás.
- Bem vindo ao Motel Dallas, o que deseja? – O recepcionista fala. Diego não consegue acreditar no que está ouvindo e abaixa a cabeça sussurrando pra Roberta que ainda dormia agarrada em seu corpo. – Me perdoa meu amor, nem eu acredito que agente tá se metendo nisso mais é o único lugar que nos resta..
- Ata brigado.. – Pedro agradece depois de ter reservado os quartos se dirigindo pra garagem.
Descendo do carro Diego pega Roberta no colo. Pedro Alice e Tomás Carla. Eles vão se dirigindo aos quartos pra depois descerem pra pegar as malas.
Com um pouco de dificuldade Diego abre a porta e ao mesmo tempo não larga Roberta.
Ao entrar vai até a cama e ajeita a namorada carinhosamente a cobrindo logo em seguida. Agachado do lado da cama ele a observa. Ela meio que quase despertando pergunta confusa de olhos fechados se apertando ainda mais nele. – Agente já chego? Tá tu.. – Diego coloca a mão em sua boca e passa sobre todo seu rosto.
- Agente já chegou minha vida tá tudo bem.. – Ele lhe dá um beijo demorado na testa.
- Não sai de perto de mim.. – Ela agarra em seu braço o trazendo ainda mais perto o abraçando.
- Não saio meu anjo.. fica tranquila.. – Roberta cedo espaço e puxa ele que deita a seu lado. Ele abre seus braços ainda mais a convidando a se aconchegar por inteiro. Ele beija sua testa e acaricia seus cabelos, deixando-a se sentir mais segura sabendo que continua ali.
Minutos depois em seu bolso o celular de Diego vibra e ele já fica tenso antes de olhar o identificador.
- Oi?!
- E ai cara não vai descer pra pegar as malas? – Pedro revira o porta malas ao lado de Tomás que falava sozinho.
- Deixa que amanhã bem cedo eu desço e pego as coisas.. a Roberta acordou entre sono.. vou ficar aqui cuidando dela..
- Tá bom então.. qualquer coisa liga!
- Tá vocês também! – Eles desligam.
Felipe está sentado na beirada da cama ainda muito enfurecido por mais um plano ter ido por agua abaixo. Lorena chega e percebe o descontrole em seu comportamento.
- Que aconteceu? – Ela se agacha e segura seu rosto.
- Aquele inferno do Diego e companhia conseguiram salvar ela.. eles fugiram.. que raiva! – Ele se levanta socando a parede.
- Droga! – Lorena também se revolta.
- Mais um plano que não deu certo.. cada vez  eu pego mais ódio da cara deles.. – Felipe fecha os punhos como se quisesse dar um soco.
- Acho que já tá chegando a hora da gente planejar a sua fuga..  – Ela caminha até ele e massageia seus ombros.
- Algum plano em mente?
- Vou falar com alguns ’amigos’ meus e depois te conto tudo.. tenho certeza que dessa vez vai dar certo! – Lorena tenta animar Felipe.

 ‘’Diego sai lentamente da cama beijando a mão dela que estava em cima do seu peito. Roberta dormia tranquila com o namorado ao seu lado. Diego resolve tomar um banho básico mesmo que não tivesse roupa no momento mais ele colocaria um roupão pelo menos por enquanto.
 Ele se levanta e olha ao redor, o quarto era todo em vermelho claro, cheio de pétalas rosa pelo chão realmente era lindo, mais o que lhe chamava mais atenção era a cama redonda com lenções vermelhos em seda, combinava perfeitamente com a beleza de Roberta. Ele da um leve sorriso tranquilo caminhando até o banheiro já tirando a camisa.
Dentro da calça levava o celular que ele deixa sobre o balcão da pia. Logo depois do seu banho quente Diego se seca e coloca o roupão que estava pendurado atrás da porta. Prestes a sair ele escuta seu celular tocando. Sem se intimidar Diego atende rapidamente. – Alô?! Alô?
- É.. descobri aonde vocês estão.. olha que não foi muito difícil! Precisam de mais criatividade sei lá! – A pessoa do outro lado é irônica com Diego e segura alguém fortemente.
- Aonde você tá desgraçado? – Diego fala totalmente nervoso abrindo a porta em seguida.
- Acho! – Já em cima da cama Wesley da gargalhadas apontando o revolver na cabeça de Roberta. – Tava com saudade?! Não sei não mais.. acho que ela tava! – Ele passa a arma pelo rosto dela. Que tentava se livrar mais não tinha jeito.
- Tira ela dai, por favor.. – Diego se aproxima mais logo é impedido.
- Se você der mais um passo.. eu atiro.. – Wesley o olha com uma expressão seria agora.
- Atira em mim então não nela.. me coloca no lugar.. – Os olhos de Diego enchem de lagrimas ao ver Roberta naquele estado.
- Se depender da gente vocês não irão ser felizes, vocês podem até tentar mais nos não iremos desistir de atormentar a vida de vocês.. enquanto estiverem juntos não vão viver em paz, tudo que tiver ao nosso alcance pra fazer vocês sofrer agente vai fazer! Sentimos muito ódio de vocês e pra te fazer sofrer o resto da vida eu vou fazer simplesmente isso.. – Roberta grita pra Diego não se aproximar chorando desesperadamente. Diego sai correndo gritando na direção deles quando Wesley atira sem dó, friamente em Roberta jogando a arma num canto ele faz a tragédia e vai embora sorrindo. – Seja feliz Diego!
- NÃO! ROBERTA! RO.. meu amor.. nã..nã,não,não,não.. – Diego se joga no chão e a coloca em seus braços sacudindo seu pescoço. – Volta pra mim! VOLTAA! – Ele a sacodi novamente e se joga sobre seu peito ensanguentado chorando desesperado. – Eu te amo demais, eu não vivo sem você, não me deixa aqui sozinho.. NÃO!
- Eu sou seu anjo.. eu vou sempre estar do seu lado minha vida te protegendo.. – Ela fala quase sem forças e continua. – Você foi o presente mais lindo que a vida me deu.. – Diego grita desesperado chorando. – Para meu amor, xii.. – Ele beija de leve sua boca. – Não fala assim viu.. vem eu vou te levar pro hospital.. você vai melhorar.. vem.. – Ele a pega no colo em meio a carinhos, quando chegam à porta Diego olha pra Roberta e a vê revirando os olhos, buscando o ar. O que o deixa desesperado, chorando ainda mais, aquilo tudo já havia matado Diego por dentro. – Reage meu amor.. você é forte.. – Ele sacode Roberta em seu colo.
Ela diz suas ultimas palavras sussurrando. – Não vai dar tempo.. eu.. eu te amo mais que tudo nesse mundo.. é eterno.. – Diego gritava vendo que Roberta ia embora pra sempre. – Eu que te amo muito, esse amor é maior do que todas as coisas, é eterno.. – Diego percebe que Roberta não respira mais, que seu braço que se apoiava em seu ombro caiu sem vida. Ele se joga no chão chorando gritando seu nome por diversas vezes sacudindo seu corpo, beijando sua boca. – NÃO VAI POR FAVOR.. NÃO ME DEIXA AQUI.. COMO É QUE EU VOU VIVER AGORA SEM VOCÊ.. – Diego tem uma tontura, tudo fica totalmente escuro.’’


continua...


2 comentários:

LuAr e DiRo amo muito disse...

QUE LINDOOOO chorando litros aqui,eu AMOOO a web de vcs,é muuuuuiiiiittttooo linda,parabéns!!!!!!

G.S MISSÃO I.M.A.G.I.N.A.Ç.Ã.O disse...

Obrigada lindona, você já se tornou muito especial pra nos.. Muito obrigada pelos elogios.. bjooooos s2

Postar um comentário

Minha foto
Florianópolis, Santa Catarina, Brazil
Bem vindos a Web Novela Roberta e Diego. Viaje junto com agente na historia desse grande amor. Escrita por Gabriela Medeiros & Stefane Barcelos.