topbella

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Capitulo 33 - A verdadeira história!


- Alô? – Pedro atende confuso sob o olhar atento de Tomás.
- Oi, Pedro Costa?
- Quem é que tá falando?
- Sou funcionário do Hospital Santa Veridiana, aqui no interior do Rio, seu amigo Diego Maldonado sofreu um acidente voltando pra cidade e está aqui em observação então vo.. – Sem nem saber ao certo o que está sentindo no momento alivio ou sensação de preocupação em dobro Pedro o interrompe. - Posso! Quer dizer podemos! Estamos indo pra ai muito obrigado por ter ligado você tirou um peso enorme das nossas costas. E por favor, sob nenhuma circunstancia o deixa sair dai.. – Eles desligam logo em seguida. Pedro volta seu olhar para Tomás já sabendo o que ele quer. – Fala menino quem era sobre o Diego né?
- Ele mesmo... Tomás quem realmente morreu foi o Felipe na explosão o Diego conseguiu fugir..
- Nossa que bom, então quer dizer a imprensa noticiou errado?
- Tomás que isso, que bom?
- Claro ué se ele morreu é porque fez por onde!
- Eu sei mais.. – Pedro reflete um pouco. - Quer saber? Menos um pra incomodar!
- E outra o nosso garoto está sã e salvo!
- É Tomás só que no meio disso tudo ele acabou sofrendo um acidente..
- O Diego tem sete vidas! Partiu pro hospital?
- Vou só chamar o seu Henrique.. – Pedro lhe entrega a chave do carro.
- Enquanto isso eu vou ligar pra Carlinha pra ela ficar ao menos mais tranquila..

- Eu estou bem, quero sair daqui agora.. – Diego tenta se levantar bruscamente da maca.
- Você vai ficar por aqui por mais um tempo além de estar fraco sofreu um acidente que por sorte saiu ileso.
- E o senhor que estava ao meu lado, como ele está? – Diego se preocupa com o ‘amigo’.
- Ele sofreu traumatismo craniano e nesse momento passa por alguns procedimentos do hospital. – O enfermeiro ajeita o soro no alto da maca.
- Traumatismo craniano? E a família dele já foi avisada?
- Parece não ter família, mora sozinho por enquanto só temos certeza do nome completo dele que é Lean.. – O enfermeiro é interrompido pelo próprio celular. – Desculpe vou ter que me retirar é que a minha esposa sabe ela está gravida e a qualquer momento pode entrar em trabalho de parto.. É importante você entende, não?
- Que isso claro que entendo pode atender.. – As lembranças vêm passando como um filme na cabeça de Diego. Ele fala mais parece nem estar mais ali, só está concentrado em seus pensamentos agora.
- Obrigado. – Ele se retira imediatamente esbanjando sorriso.
‘’ -... É que ela estava gravida, mais o acidente foi muito grave..  Infelizmente não conseguimos salvar a criança.. Eu sinto muito..  -... É que ela disse que queria te contar primeiro..  – ...Ia ser até papai não é mesmo, mais que pena nem deu tempo de ver a barriguinha dela crescer com a sementinha dentro..’’
E as frases passeiam, vem e vão em sua cabeça mais uma vez.
‘’ –... Disso você não tinha que ter duvida... Seria o melhor presente da minha vida. Eu sei meu anjo o quanto é complicado pra você ter que ouvir isso, pois também estou sofrendo muito...  Mais... Infelizmente, perdemos o nosso filho. ‘’
- Diego Maldonado? – O delegado abre uma fresta da porta à espera de permissão para seguir adiante. Ele que estava com um olhar parado, distante volta à realidade em questão de segundos. – Pode entrar... – Diego se ajeita na maca passando as mãos entre os cabelos após o leve susto.
- Então vamos conversar pra você me explicar oque de fato está acontecendo?
- Claro.
- Há um tempo fui informado que Felipe Araújo..
- Fugiu? – Diego completa a frase dele impaciente.
- Sim e já a indícios do envolvimento dele em..
- Um sequestro no qual eu fui o alvo, bom na verdade seria minha namorada.
- A noticia já se espalhou pela imprensa de uma forma quase fora de controle dizendo que na verdade quem morreu foi você.
- Como é que é? Mais como vocês deixam isso acontecer? – Diego se surpreende se levantando bruscamente. – E se ela.. e se ela.. –Ele andava de um lado e outro.
- Ei calma você..
- Eu estou ótimo só quero sair daqui! Agora! – Ele leva o delegado pela frente.
- Volta aqui Diego!  - O delegado corre em busca dele pelos corredores.

- Com licença, vocês ligaram me informando que o meu amigo Di.. – No mesmo instante ele aparece levando Pedro adiante com um esbarrão.
- Oh meu fi.. Diego? – Ele arregala os olhos. - Cara você quase mata agente seu louco! – Ele puxa o amigo para um abraço. Tomás que estava aguardando na porta avista o amigo de longe. – Meu bebe! – Ele vem andando de braços abertos.
- Cadê ela? Vocês têm noticia? Fala logo, por favor, não escondam nada!
- É.. – Tomás olha em volta. – Agente tá bem e sentimos sua falta, obrigado! - Pedro empurra de leve o amigo.
– Fomos até a delegacia ver as investigações mais..
- Mais nada Pedro! Eu não vou ficar aqui de braços cruzados esperando a policia agir com ela nas mãos de psicopatas!
- Você ainda não está cem por cento..
- Dane-se eu só vou descansar quando ela tiver nos meus braços novamente! – Diego segue até o balcão deixando os dois boquiabertos. - Eu já sabia que essa seria a reação dele com tanto tempo de convivência com você só podia dar nisso!
- Por que moleque tá maluco?
- Elas acabam se tornando um Pedro Costa da vida dando uma de super herói de vez em quando!
- Nossa que engraçado.. Mané! – Pedro dá um peteleco na cabeça do amigo. – Ligou pra Carla?
- Pior que não vou deixar pra mais tarde..
- Quer esperar a menina enfartar?
- E se ela tiver do lado da Alice?
- Ela sabe disfarçar!
- Não meu querido não sabe mesmo! – Eles caminhando atrás de Diego.

- ‘Na, na, na, na.. na, na, na, na , na’ – Lorena parecia feliz cantarolando na cozinha com um fone de ouvido pendurado na orelha. Após ter escapado do sótão Roberta a observa escorada na parede esperando a melhor oportunidade pra se mandar dali. – Desgraçada! – Nesse instante um barulho de carro chegando é ouvido e Roberta recua assustada.
- E ai tá melhor agora? Tudo foi esclarecido mais conformada? – Wesley nem repara nos fones da mulher e a encara percebendo seu sorriso. – Lo... Lore... Lorena! – Ele a sacodi.
- Que é! A pessoa não pode nem ouvir uma musica sossegada já não basta ter ouvido os gritos da outra..
- Que ótimo você ainda tá mantendo ela aqui..
- Mais é claro só tô esperando o chamado do meu Felipe.. – Ele abaixa a cabeça.
Desde o momento que Wesley entrou Roberta já tinha se afastado indo até a janela da sala. Se ajeitando pra pular ela observa o matagal adiante. – Como é que eu faço pra te ter de volta? – Limpando algumas lagrimas que rolavam, Roberta corre já na escuridão da noite que vem chegando sem nem olhar pra trás.
Dentro de casa ela se jogava no chão desesperada.
- Olha Lorena liga a tv, entra na internet não sei dá seu jeito já que eu estou aqui quase desenhando e você não tá querendo acreditar!
- PARA CHEGA FOI ELE QUE MORREU NÃO O MEU FELIPE!
- E eu vou contar pra menina que afinal não precisa sofrer tanto.. – Wesley segue até o sótão puxando Lorena. – Mais é muito burra mesmo em.. Você deixou a porta aberta? – Ele a encara mais Lorena só está concentrada no momento para chorar a morte do amado. – RESPONDE!
- Eu não trabalho pra você eu trabalho pro meu marido e só deve satisfações a ele!
- Que marido oque o retardada! Vai seguir o exemplo e virar psicopata? Agora quem manda aqui sou eu! – Wesley faz uma pausa incrédula a encarando. – E meus parabéns.. ela fugiu! Existe gente mais esperta que você sua cabeça de camarão! – Ele a empurra contra a parede a trancando lá dentro.

- E ele conseguiu! – Tomás aplaude o amigo escorado no cabo do carro.
- Também né a recepcionista não aguentava mais ouvir a voz dele!
- Ah antes que eu me esqueça Diego... – Tomás vem se aproximando. - Só um conselho, quando agente enfim encontrar a Roberta vai morar com ela em Madagascar, por favor, vai meu filho!
- Vão e sejam felizes! – Pedro concorda com Tomás por incrível que pareça.
- Não estou pra brincadeira Tomás.
- É fica a dica parceiro!
- Fiquei sabendo que tinha mais um com você no carro, quem era? – Pedro vem ‘rodando’ seu anel no dedo.
- Seu Leandro, ele me ajudou a fugir do galpão..
- Já foi pra casa?
- Pior que não Tomás, está com traumatismo craniano..
- Ele não tem família Diego?
- Não sozinho no mundo, além de estar me sentindo culpado também estou preocupado com ele..
- Que isso cara você não tem culpa.. – Pedro conforta o amigo.
- Para de se sentir assim sempre meu filho que coisa! – Tomás o reprende.
- E a Roberta meu Deus que não sai da minha cabeça..
- Calma a noticia verdadeira tá se espalhando.. Só se por lá aonde ela estiver o sinal caiu, parou a transmissão sei lá..
- Tomás cala a boquinha cala?
- A Lorena vai acabar descontando tudo nela Pedro.. Mais chega de conversa vamos logo atrás da minha menina..
- Seu Diego! – Henrique vinha chegando após uma ida a lanchonete da esquina. Antes que Diego abrisse a boca ela já vem se explicando. - Seu Diego me perdoe eu sei que não exerci meu trab..
- Calma seu Henrique calma.. O senhor não tem culpa eles que são uns infelizes mesmo.. Mais com um agente não precisa mais se preocupar.
- Obrigado por entender. Vamos até o certo ponto que posso leva-los?
 - Agora pelo menos assim vamos estar mais perto do que longe.. – Diego abre a porta do carro.
- E Tomás pelo amor liga pra Carla de uma vez.. Parece que tá com medo da menina..
- Pedro você é o um milagre da humanidade!
- Lá vem você de novo e lá vou eu perguntar por que!
- Por que você... Nasceu de um mês e meio de gravidez né meu filho só pode nunca vi pessoa tão apressada! – Pedro empurra o amigo pra dentro do carro em seguida.

Alice finge dormir tranquila enquanto repara Carla nervosa andando em meio ao quarto.
- E ele que não me liga... – Ela esfregava as mãos uma na outra. – Qual a dificuldade de... – Carla sente seu celular vibrar no bolso. – Estava pensando em me ligar quando 2016?
- O importante é que eu liguei, não é mesmo?
- Fala logo Tomás antes que eu tenha um treco!
- Ele já está aqui com a gente, pessoalmente te contamos em detalhes.
- Graças a Deus!
- E a Lice tá bem?
- Tá, tá dormindo.
- Vê se disfarça em..
- Eu sei disfarçar muito bem meu nervosismo tá e se depender de mim ela não vai saber de nada!
- Tá ok qualquer coisa liga pra gente.
- Vocês vão atrás dela?
- Vamos mais Carla da pra parar de ficar falando esses tipos de coisa?
- Ela tá dormindo meu filho!
- A Alice é muito esperta enquanto você estava indo com o milho ela já vinha com o bolo pronto! Beijo. – Tomás desliga em seguida deixando Carla pensativa de costas pra maca.
- Você sabe disfarçar oque? Ir atrás de quem? – Alice se ajeita na cama e Carla permanece de costas com os olhos arregalados.


Continua...

2 comentários:

moonlight disse...

posta +++++++++++++++++++

Anônimo disse...

amei a web
quero ++++++++++++++++++++

Postar um comentário

Minha foto
Florianópolis, Santa Catarina, Brazil
Bem vindos a Web Novela Roberta e Diego. Viaje junto com agente na historia desse grande amor. Escrita por Gabriela Medeiros & Stefane Barcelos.