topbella

sábado, 8 de setembro de 2012

Capitulo 55 - Será que você, pode me entender?

... E todos os acontecimentos de uma vida... Sem exceção. .. Podem estar escritos nesse livro comum, tão conhecido como.. ‘’destino’’?!..
Aquele senhor dos cabelos grisalhos.. Sabia usar como poucos, a formula mais bela do importante dom da sabedoria.. Guardando seus mistérios dia após dia... A sete chaves. .. Leandro, havia construído toda aquela historia, trazendo a si seus principais ‘personagens’, os fazendo sem entender, parar ali. .. Cabia a cada um formar seus próprios conceitos .. Cabia a cada um deles, formar sua própria explicação. .. Tudo aquilo podia ser em busca de um proposito? .. Bom, ninguém como ele muda planos bruscamente em troca de, nada. ..
- Roberta? – O ‘bicho de pelúcia’ ainda caia discretamente. – Disse algo de errado, Diego? – Sem pronunciar sequer um simples ‘’sim’’, ela seguia em estado de ‘choque’. – Tá tudo bem, querida? – Seu olhar de desespero, se volta a ele.
-.. Claro Silvia, pode deixar ela comigo... Ficamos com eles. – Os dois se dão as mãos. -.. Eu vou te ajudar. – Ele sussurra.
- Prometo que não vou demorar muito. – A bolsa ‘a olhava’ sobre a poltrona.
- Não se preocupe com isso. – Diego andava até o carrinho, mais uma vez.
- Apenas uma pequena conversa. - Ela se explicava, agradecida.
- Demore o tempo que for necessário. - Ele encarava de perto o nervosismo dela.
– Muito obrigada!.. – O som do fechar da porta é enfim ouvido.
-.. Vai ser bom cuidar deles.. - Com a intenção de provoca-la ainda mais em meio as palavras, ele podia calcular o nível de seu desespero.
- Ah claro, vai ser.. - Diante de tanta aflição as palavras evaporavam da mente 'perturbada'. - Tem noção do que você acabou de fazer?!
- Tenho, muita. – Ele é rápido.

 - Diego.. Eu nunca fiz uma criança dormir em toda minha vida!.. – Ela tremia só em ouvir o ‘fino’ choro de Danilo.
- Ótimo!.. – Ele deixava por enquanto, as mãos no bolso. – Sempre tem a primeira vez, não é mesmo? – Faltavam poucos passos até ela, novamente.
- Ótimo?! ..Todas...Todas as crianças sempre me odiaram!..
- Nossa que exagero meu amor... Quem seria capaz de odiar, você? – Ele a acariciava.
-... Eles. – Concluído todos os métodos de ‘escape’, ela ainda se mantinha irredutível quanto aquilo.
-.. Não precisa ficar com essa cara.. – Ele ‘toca’ seu nariz. – Não vai ser o fim do mundo!..
- Ela pediu pra você?
- Não, mais eu..
- Então pra mim é o fim do mundo sim.. – Mantendo o carinho em sua face, Diego já percebia a clara ‘manhã’. – E você deve tá amando isso, né? – Mais calma, ela segurava o riso atenta a sua atual expressão.
- Quer saber? .. To, muito!.. – Os dois libertam a risada. – Você tem que ver seu jeito segurando ele... – Ele mordia os lábios. – É muito engraçado!..
- Nossa como você tá engraçadinho!.. – Ela cruzava os braços.
-... Mais ao mesmo tempo, foi uma das cenas mais lindas que eu já vi. – Suas mãos podiam ‘habitar’ seu rosto. -.. Eu entendo cada parte de você.. E sei que de um jeito ou de outro... Você gosta disso.
-... Diego não tem condições, eu não to prepa..
- Só não quer admitir. – Em poucos instantes de silencio, o olhar mantinha-se firme um no outro. ..  Ele?.. A conhecia melhor do que ninguém. – Vem cá.. – Ela a trazia pelas mãos. -.. Olha.. O Dani gosta de você. – Sentada ao lado dele, ela o vê com o bebe em mãos.
- Não sei explicar o porquê de eu fic..
- Eu sei. – Eles se encaravam. –.. Vai subindo com ele.. – Danilo estendia os braços até ela.
- Mais e você? .. Vai que eu..
- Eu também sei que isso não vai acontecer. – O olhar de Diego, não a deixa desistir pelo menos de tentar. – Confio em você. – Depois de ambos abrirem um leve sorriso, com o pequeno aninhado em seu abraço, ela se afasta sendo então observada por ele.
- To.. Te esperando lá. – Naquele tão ‘’complicado’’ momento, subindo à escada Roberta só não entendia o porquê de estar ali... Ou até mesmo o porquê de ter de realizar aquele mais ‘estranho’ pedido. .. Algumas pessoas, tais como a própria ‘Silvia’ nem sempre sabem o que de fato aconteceu em sua vida. .. Às vezes, simplesmente insistem em caminhar além da mania, tocando no assunto que mais dói dentro de você. .. Acredito que não propositalmente. .. Mais tudo sem nem perceber, que veio então a ser dito.
 



-.. Estranho ela ainda não ter me ligado... Agente tinha até tocado naquele assunto de alugar um apê.. – Em plena sorveteria, Carla conversava com a decorada cadeira em frente.. Quer dizer com seu mais ‘distante’ Tomás. -.. Sabe, aquela historia de nos três morarmos juntas.. Bom agora só nos duas. – Ela lembrava a amiga por um instante. –.. Já até disse pra ela.. ‘’não quero nada muito extravagante’’ .. O lugar na minha opinião, tem que ser o mais simples possível.. Ah! – Ela ‘bufa’.  –.. Mais você a conhece muito bem, simplicidade com a nossa menina-mulher?! .. É ruim, hein! .. Pra ela, a casa tem que ser muito bem localizada, de preferencia na melhor e mais cara parte do Rio.. E eu?.. Vou ter de trabalhar muito a fim de.. – Falando pelos cotovelos, ela começava a sentir falta de sua ‘‘concordância’’. – Tomás! .. Poxa, nem pra prest.. – Uma lagrima ganha enfim a atenção dela. – Ei!.. – Ela deixa de se recostar. – Oque tá acontecendo?
-.. Olha só no que me tornei.. – Tomás, fazia um rápido balanço da vida.
-.. Claro grande novidade você não ter escutado nada do que eu fal... – Ela para imediatamente. – Oque foi que você disse? – No exato momento, Carla segue sem entender.
-.. Hoje percebi que não sou o mesmo de antes... E tudo depois daquela desgraça! – Alterado, ele joga a mesa a qual sentavam longe.
- Que isso Tomás! – De olhos arregalados, ela quase nem acreditava no que acabará de acontecer. – Oque deu em você?
- Oque deu em mim? .. Já sentiu vontade de matar alguém?! – Ele já conquistava a atenção de um ‘grande publico’.
- Não fala isso nem de brincadeira menino! – Ela logo o repreendia. –.. Você nunca se comportou desse jeito!
- Por que sempre fui um bobo! .. Por pena dos outros deixei que eles me transformassem nesse monstro!  - As lagrimas caem sem serem sentidas.
- Para com isso!
- Foi ela! Aquela bandida! .. Me fez esquecer quem realmente sou! Me fez ficar longe de você e dos meus melhores amigos por tanto tempo!
- Todo mundo tá olhando pra gente.. Para de fazer escândalo!.. – Ela aproximava-se com um tom de voz ‘’sereno’’.
- Que se danem todos vocês! – Com a ‘roda’ em volta deles já formada, ele a rodeava de braços abertos. – BANDO DE FOFOQUEIROS!
- To.. Tomás para pelo amor de Deus.. – Ela o puxava pela camisa.
- O que é?! .. Nunca viram alguém em busca de justiça? – Ao ver Pedro de relance, Carla logo acena desesperada. – EU! – Ele rondava o espaço, em busca de uma cadeira ‘firme ao chão’. – TOMÁS CAMPOS SALES! – Ele batia no peito. – VOLTEREI A SER QUEM EU SEMPRE FUI! .. E ELA? .. TERÁ LOGO O QUE REALMENTE MERE.. – Pedro o pega nos braços.
- Engano seu! .. Você já voltou a ser o mesmo louco de sempre! – Ele se debatia feito criança.
- ME LARGA! .. CARLA MANDA ELE ME LARGAR! AGORA! – Longe dos dois, podia se ouvir o pequeno trecho do pedido de desculpas. ‘’.. Nem sei como explicar à senhora o conhece muito bem e..’’
- Me deixa fazer o meu protesto!
- Muda a frase pra.. ‘Deixa eles me lincharem!’ – Pedro debocha. – Seu maluco!.. Ninguém entendeu nem meia palavra do seu ‘’protesto’’!
- Claro vocês nem me deixaram terminar! – A namorada voltava com pesados passos ao chão.
- E o que esse povo tem a vê com você ou com o seu senso de justiça conquistado agora?
- Pedro, você vai ficar aqui pra assistir ou vai nos deixar a sós pra ser mais emocionante! – Enquanto falava, o olhar não era nem ‘meio’ desviado.
- É.. Na verdade só tenho uma ultima pergunta.. – Ele saia de ‘mansinho’. - Ela veio com vocês?
- Não. – Ela é rápida em meio à raiva.
- Mais ela me disse que vinha e..
- Pedro não era sua ultima pergunta?.. Contando com essa já são duas se eu não me engano. – Ela mostrava que não estava ali pra enfrentar brincadeiras.
- Desculpa, to saindo... – A porta do loft era alcançada. – Ah e Tomás..
- Oi?!
- Boa sorte.



- Oque é que seu irmão, não me faz fazer... – Sem que ela percebesse, trazendo Bruno no colo, Diego a espiava orgulhoso. -.. Será que você tá tão nervoso quanto eu?.. – Ela o deitava delicadamente no berço. – Acho que não, né? ... Mais promete que vai me ajudar?.. Começando por.. – O bebe faz exatamente o que ela mais temia. -.. Não.. Ei.. Por favor, não chora. .. – Danilo a olhava sem entender. – Oque você me prometeu, em?.. – Ela agarra os cachos, querendo tão logo uma ‘brilhante’ ideia. -.. Olha, eu posso te fazer rir.. – O menino a admira no mesmo instante. – Tá.. Ficaria um pouco ridículo eu aqui fazendo caretas pra você... – Do outro lado, Diego sorria. – E também.. Acho que você não ia gostar. – Pegando o menino nos braços novamente, ela então passeia pelo quarto. -... Então é aqui que vocês dormem?! .. – Próximo à cortina, algo chama sua atenção. -.. Que coisinha mais linda.. – Ela tocava o mobile, ‘caseiro’. -.. Quem será que te deu de presente?! – Seus dedos ‘caminhavam’ por entre o nome, ‘’Danilo’’.
- Você.. Gostou? – Diego sussurrava surpreendido. -.. Ela gostou. – Sem conseguir largar seu sorriso, ele beijava a pequenina cabeça de Bruno, feliz.
-.. Posso te contar um segredo?.. – O rostinho dele parecia feliz em tê-la por perto. –.. Sabe por que você é o meu preferido?.. – Ela sussurrava o erguendo ao olhar. -.. Pelo incrível que possa parecer.. Eu enxergo muito dele, em você. – Com uma das mãos no bolso, ele também dizia sua conversa a Bruno.
- Pena que eu... Ainda não possa falar o mesmo, ao nosso. – Emocionado, ele trazia o irmão ao peito.
-... E agora.. Te vendo assim.. Próximo a mim.. Mesmo sem saber ao certo o que fazer... Tenho certeza do quão maravilhosa é, essa sensação. – Ela senta a beirada da cama.
-.. Sabia que você tinha gostado.
 –.. Ah!.. Esqueci de mencionar que tudo isso... Também faz parte do nosso segredo!.. – Danilo buscava nela, algo que naquele momento seria improvável de acontecer. – Você deve estar com fome... Então, sem chances de me contar como anda sua ‘dura’ vida, né?! – Ela acariciava suavemente, seu pequeno rosto. -.. Será que você, pode me entender? Ou.. Me ouvir?! ..Se deve tá me achando à maluca ‘falante de bebes com sono’! – Escorado a porta, Diego assistia seu ‘cuidado’ recebendo mais uma vez nos pensamentos, o interrompido ‘sonho a ser vivido’.
-.. Será que.. – Ela parecia já pensar o mesmo. -... Se 'ele' tivesse nascido, seria tão lindo quanto você? ..
-.. Assim como você. – Ele respirava fundo como ela, de lagrimas nos olhos.
-.. É incrível como eu sempre me emociono pensando nisso... Você consegue imaginar?
- Consigo. – Poucos segundos depois, Danilo voltava a choramingar. –.. Ok.. Ok.. Sem lembranças tristes da sua cunhada!.. – Olhando as coisas sobre a cômoda, Roberta já franze o cenho. –.. Ué.. Quando agente entrou isso já tava aqui? ..– Levantando-se lentamente, os dois ‘caminham’ até ‘lá’.
- Oque foi pequeno? .. Em? - No colo do irmão, Bruno procurava algo familiar.
- Ah claro!.. – Ele logo se recorda. – Esqueci sua ‘foca’ na sala, né?! – Bruno o encarava em meio a cada atrapalhado piscar dos olhos, pelo ‘quase’ chegar do sono. – Vem.. Agente acha ele rapidinho..  – No topo da escada, ao avistar ‘as montanhas de pelúcia’, os ombros ‘desarcam’. – É.. Vai ser uma demorada procura... Você me ajuda?
- DIEGO! CORRE! DIEGO!

Continua...

8 comentários:

Anônimo disse...

Ficou muito lindo, cada capítulo melhor que o outro... Beijão

Samanta

Anônimo disse...

que capitulo mais emocionante
posta mais
Sophia

moonlight disse...

que lindo... super amei

Anônimo disse...

++++++++++++++++++++++++++++++++++

Anônimo disse...

amando cada vez mais

Anônimo disse...

posta mais *.*

Anônimo disse...

o que aconteceu? estou morrendo de curiosidade, por que ela gritou? posta logoooo bjs
esperamos anciosas pela grávidez da roberta
bjs

G.S MISSÃO I.M.A.G.I.N.A.Ç.Ã.O disse...

Muito obrigada pelos comentários amores! Ficamos cada vez mais felizes! Grande beijooo!

Postar um comentário

Minha foto
Florianópolis, Santa Catarina, Brazil
Bem vindos a Web Novela Roberta e Diego. Viaje junto com agente na historia desse grande amor. Escrita por Gabriela Medeiros & Stefane Barcelos.