topbella

domingo, 30 de setembro de 2012

Capitulo 69 - Nova identidade.

... Mais alguns sinais vermelhos.. Vez ou outra amarelos.. E ele enfim estaria lá. A sensação? .. Mesclava a odio e orgulho ferido. Talvez até por ter sido feito de bobo. Ou.. Chorado em vão pela pessoa ‘perdida’. ..
Naquele momento o hospital era como fosse um bosque oculto. Enriquezidos pelo caminho de labirintos representado agora, como de costume, pela movimentada e quilometrica avenida. ..
Atravessando o Rio de Janeiro, Wesley definitivamente não se convencia dos recentes fatos expostos na tensa e reveladora madrugada. E para exito completo de sua infelicidade, o papo então tinha mesmo surtido efeito. Por perto, era como tivesse um quebra cabeça, em nível extremo de dificuldade. Que pouco a pouco as peças pudessem livremente se encaixar perfeitamente. Origem, pedidos, receios, lembranças.. Tudo vivido era questionado por vir agora à tona. Mais e a verdade? .. É realmente como muitos dizem ‘’temos muito de ver, para crer. ’’..
‘’.. Por ser identico a ele, todos acharam que o famoso fugitivo da policia tinha enfim sido morto. ’’
No estacionamento, vindo logo ao encontro da aprópriada vaga, ele podia sentir o sussurro de suas palavras em meio a seu ouvido.
‘’ SÓ VOCÊS NÃO SABIAM A MAIOR PARTE DO PLANO DELE!’’
Do carro ele logo saia agoniado ajeitando-se um pouco mais no retrovisor em frente.
‘’ Mesmo que você queira seu velho amigo de volta.. Não vai ter.. Por conta daquele acidente.. – Por que você olha Lorena? .. ‘’
Cumpunham seu disfarce: Óculos, boina, jaqueta de couro e um falso bigode.
‘’ ELA ACHA QUE FUI A CULPADA DE TODO O EQUIVOCO DAQUELE ACIDENTE! – Como? –Isso mesmo que você ouviu.. GRANE PARTE DELE! Ele não imaginava a tão clara burrice de Fernando.. Talvez essa também tenha sido outra parte inclusa a seu plano e nas minhas mãos ele deixou a escolha de leva-lo adiante ou não.. A vingança? Você tem a completa noção de quanto isso vale pra el.. – Disso eu já sei durante muito tempo! Mais o que .. – Hoje ele é irre... – FALA! – ELE ESTÁ IRRECONHESIVEL! Agora chega de dizer que.. Ele não matou o irmão sozinho! O plano? Muito bem calculado! Fernando não se manisfestou de forma alguma! Aceitou como.. ‘’
- É exatamente isso que vamos ver...
Sob olhares, degraus e elevadores instantes depois.
- Com licença.. Por gentileza? Pra que lado fica o balcão de informações? –Adotando os bons modos, seria uma missão quase impossivel ali, a policia novamente captura-lo.
- Virando o próximo corredor, à direita. – Com suas vestes impecavelmente brancas, o enfermeiro era ligeiro na resposta.
- Bom eu.. – O desconforto de sua visão denunciava o mau uso das lentes.
U.T.I / Centro cirurgico. / Central de informações. / Visitantes. / Central de internações.
Despertando sua atenção, presa ao teto, a placa mostrava-se util.
- O senhor.. ? – Como exibido no bem feito bordado de seu jaleco, Talles esperava o fim da dúvida.
Ele ainda mantia ‘por lá’ seu olhar fixo, percebendo então sua desnecessária pergunta.
- Deseja ir ao setor de internação senhor? Acredito que tenha algum parente tratando-se aqui conosco, posso ajuda-lo se preferir mais adian.. – Frio, ele seguia o ‘deixando a ver navios’, sendo assim verdadeiramente ‘ele’ mais uma vez. –Senhor? Senhor!
- Ala três, quarto 89.. – As mãos ‘suavam’ frio, pesando sobre a mesa.
- Só um instante senhor, não é bem assim como pensa que aqui as coisas funcionam!.. – O coque bem feito da senhora, estremecia. – Para demais dados, que eu possa gerar sua autorização.. – Aquele discurso quebrava em pedaços o bom ator que dentro dele 'residia'. –.. que logo posso receber o comprovante de..
- Feli.. – '' ... A policia não poderia saber de quem se tratava.. Foi que.. Eu fui lá, sozinha.. E corri atrás de todos os documentos para que ele podesse então trocar de identidade, literalmente. ''
E se ele não seguisse seu plano? E se ele estivesse mesmo vivo? .. É. Um voto de confiança ele devia dar a odiada cúmplice, ao menos uma única vez.
- Preciso que me informe o nome do paciente. – A língua guardava outra vez, o excesso da baba escorrida.
- De.. Demétrio Torres. - ''.. Agora ele é outra pessoa.. Sem dever nada a sociedade.. 'Livre' para voltar à vida colocando em prática sua mais nova e moderna vingança, cometendo qualquer injustiça sem sua conhecida lista negra na delegacia.. ''
Acompanhado de seus flashs, ele refletia mantendo como fogo, a cor dos olhos.
- Visita só daqui a quinze minutos. - Se ela pudesse junto dela, ter uma pequena bola que fosse de cristal.. Não o desafiaria assim, nunca.
- Como disse? – Ele a olhava impaciente.
- Volte a me procurar após os quinze minutos que nos restam pras três da tarde de uma movimentada segunda- feira.. – Irônica, ela ‘repitia’.
- Olhe aqui, eu simplesmente lhe darei uma..
- Antes disso, por você não a mais nada do que eu possa fazer. – Teclando no computador em frente, ela não fazia mais conta de sua presença.
- Então acredito que seja do seu jeito que aqui as coisas atualmente funcionam?– Ele inclinava o rosto a fim de te-la refletida no olhar.
- Fazem quarenta anos que nunca mais pelos corredores ouvi reclamações.. – Como um fruto preso a árvore, segura, ela pronunciava-se cheia de si.
- Vai ser bonita sua passagem.. – Ele afastava-se, enquanto ouvindo seu dizer ela assentia. – .. Espero que tenha feito tudo o que não fez na vida, durante um mero final de semana.. Velha desgraçada!


- Acorda.. – Sobre ela, Diego sussurrava em seu ‘pé’ do ouvido. – Bom dia meu amor.. Oque você quer fazer hoje.. Hum?.. Vamo passar o resto do dia... Assim.. Bem grudado?.. Em minha pequena?.. – Beijando lentamente seu colo a mostra, onde por perto encontrava o ponto fraco em seu pescoço, Diego nem imaginava o que no subconsciente dela, era vivido.

‘’ – ..Oque foi que você disse? Não, não.. Para, chega é melhor você parar por aqui.. – Não disse nada mais além da verdade! Deixa de ser irônico quando não devia! Acorda pra realidade da vida Diego! – Aonde você quer chegar? – Você.. Perdi a minha essencia! E justamente no dia daque...
– Você só pode tá de brincadeira.. Eu disse pra você par.. – Será que você não percebe?! – Ah então você quer brigar, é isso? – Encosta o carro! – Analisa bem! E aceita de uma vez por todas o fato de ter deixado pra trás a fase que a solução era voltar pra sua velha caverna! – Falou o bom moço que tempos atrás nunca passou por fases difícies! Deixa de se esconder do mundo! –Você pode se ouvir? Pode escutar um instante que seja sua própria voz?! – Mais do que você imagi.. – EU DISSE CHEGA ROBERTA! – NADA VAI PROVAR O CONTRÁRIO PRA MIM! É ISSO QUE HOJE PENSO DE QUEM EU ERA! DESDE AQUELE DIA! – CHEGA! CHEGA DE SE POR PRA BAIXO! – DIMINUI A VELOCIDADE DESSE CARRO! – OLHA TAMANHO DO ABSURDO QUE VOCÊ ACABOU DE DIZER! – E OQUE VOCÊ TÁ ESPERANDO PRA CONCORDAR COM OQUE ACABEI DE DI.. DIE.. O CARR.. DIEGO! NÃ.. ‘’
- Roberta.. – Ao ve-la se debater sobre a cama, ele a chamava mais uma vez devolta para vida. – Roberta! – Ele a sacudia.

- Nã.. Diego! – Sentando-se bruscamente sobre a cama, ela o procurava imediatamente ofegante.
- Ei, ei meu anjo, calma.. – De olhos arregalados, ele buscava seu rosto a fim de dizer que estava ali. – Olha pra mim.. To aqui, tudo bem?!.. Foi só um sonho.. Já passou meu amor.. – A trazendo pra junto de seu peito, ele a envolvia logo no abraço.
- Agente.. Agente tava.. Brigando e.. O carro na contra mão vindo eu.. Tentei te chamar quando.. – Aflita, ela praticamente perdia o próprio controle da respiração. – E se a melhor solução for a de nunca mais poder dormir?!..
- Não, não.. Isso foi só um pesadelo meu anjo.. Agente não vai brigar, ok? Tá tudo bem agora.. – Ele deslizava as mãos por entre seu corpo, já sabendo, sem nem mesmo olhar, o precioso lugar que cada um de seus dedos, tocava.
- Não encosta mais naquele carro! – Sem esperar, Roberta erguia-se rapidamente de seu colo, na intenção de olha-lo.
- Meu amor esquece isso vai.. – Sereno, ele segurava seu rosto. – Nosso dia ontem foi de todas as maneiras repleto de acontecimentos.. Quem sabe sej..
- Não Diego! – De pernas descobertas, sobre ele, Roberta ajeitava cada uma, lado a lado, o deixando logo em meio a elas. – Já tive momentos na minha vida tão complicados.. – Ela ‘molhava’ os lábios. – Você sabe melhor do que ninguém que eles não foram o suficiente pra atormentar nenhuma noite de sono, minha..
- Mais lembro de que nossos problemas nunca foram como agora, um atrás do outro.. Numa mesma tarde, num mesmo dia.. – Convence-la daquilo, parecia de inicio impossível.
- Será que você não entende? Agente não pode ir!
- São as nossas férias! – As grandes e carinhosas mãos, firmavam sua fina cintura.
- Promete pra mim!
- Não vai acontecer nada minha menina.. – Ele alisava sutilmente suas pernas.
- É a segunda vez que sonho com uma coisa dessas!.. Não pode ser uma mera coincidência.. Entende que só pode ser um aviso! – A intrusa mexa de cabelo era então, afastada dos ombros.
- Eu não vou deixar que nada de mau nos aconteça.. – O olhar de cada um sobre o outro, podia até se quisesse enxergar ambas as almas. – Confia em mim?.. – Ele percebia a formação do famoso e irresistível, ‘bico’.
- .. Diego eu.. – A expressão do rosto dele, a impedia de certa forma continuar a falar. – Ok.. Confio.
- Você sabe que eu to aqui pra te proteger.. Não sabe?
- Sei. – Ela olhava perdida, um canto qualquer do quarto.
- Então.. – Sentindo a grossura de sua coxa, ele subia detalhadamente as mãos a deitando na cama, novamente. – Vamo se curti um pouquinho?
– Dengosa como nunca, ela fechava seus olhos apressiando suas amáveis e excitantes carícias.– Você nem deu meu beijo de bom dia..
- Hum.. – Enquanto uma das mãos arranhavam leve as costas dele, a outra já o enlouquecia por entre seu cabelo.
- Se bem que com esse.. Blecaut.. Agente pode fingir.. Que ainda estamos de madrugada.. Tá escuro lá fora.. – Ele sussurrava mordiscando o nódulo de sua orelha. – Eu te trago café na cama..
- Quem eu quero.. Já tá aqui.. – Infiltrando as mãos sob a camiseta dele, ela murmurava provocante tocando sutilmente seus lábios. – Agente.. Podia terminar o que... Começamos ontem.. – Eles desviavam um do outro seus rostos em meio ao riso.
- É uma delicia te ver com vergonha sabia?.. – Ela corava. – E como é que você consegue ler meus pensamentos? – Encarando sua boca, ele aproximava uma das mãos que nela, habitava. – Em meu amor? .. – Ele puxava lentamente seu lábio inferior. – Já falei que te ver vestida assim.. Me deixa louco?..
- Confesso que eu gosto de poder sentir seu perfume a todo o momento.. Como se você pudesse estar grudado em mim, não só dentro do meu coração.. – Ela rapidamente assumia o ‘comando’, sobre ele. – Mais.. – Roberta pressionava suas mãos muito próximas à cabeceira, quase rente à cama. – Sentir você tirando ela pra mim.. Não tem preço. – Após ter inclinado até seu pescoço sem deixar de olha-lo nos olhos, ela mesclava beijos molhados e mordidas em seu pescoço.
- Eu realmente prefiro te ver.. Sem ela. – Rendendo-se a sua fantasia, ela liberava lentamente uma das mãos dele, que de inicio deslizava pelo colchão, encontrando logo o ‘fim’ do tecido.- Eu já sinto o gosto do seu beijo.. – Recebendo uma das suas delirantes carícias, ofegante, Diego fechava fortemente os olhos enquanto curvava a cabeça pra trás. – E só.. De lembrar que já conheço cada detalhe do seu corpo.. É como se eu pudesse.. De uma só vez.. Só ter mais uma clara certeza.. De que você vai ser minha.. Por todas as minhas vidas. – Libertando o outro ainda ‘preso’ braço, ela o deixava enfim saciar, o que seu corpo então desesperado pedia. Erguendo-se outra vez, a segurando pelo pescoço, Diego iniciava o intenso e desejado beijo. De mãos próximas a sua cintura, a camisa dele que favorecia ela, era retirada da forma mais sensual existente. Ultrapassando mais da metade do caminho, um de seus importantes atributos, mostravam-se logo própriamente livres e por ele já podiam ser devidamente vistos. Por cima dela, ele voltava sem desvencilhar seus lábios, dos dele. E em questão de um só simples segundo, a única peça que cumpunha ela, prestes a ser lançada ao alto, o mantinham ‘distantes’, olhos abertos e coração na boca. A respiração? Quando tinha sobre si, a pessoa amada e tanto conhecida, respirar apesar da perfeita sincronia, se tornava apenas, um só mero detalhe.
- Hum.. – Distribuindo ardentes beijos que lhe arrancavam fortes gemidos, o espassamento entre seus seios, era delicadamente preenchido. – Diego.. – Ela olhava brilhantemente seus olhos, enquanto por consequência daquele prazer ali sentido, em meio aos arranhões nas costas, era a vez dela de despi-lo.


- Elise? – Virando a direita do corredor, o conservado senhor mesmo que ainda de costas, a reconhecia. – Ora se não reside aqui, a anja mais fofoqueira que já vi! – Perto do grande vaso, ele cruzava os braços, irônico. – Não me diga que resolveu acabar de vez com todo o segredo do nosso mundo? Bom se bem que vindo de você?! Eu realmente espero qualquer coisa!
- Anelise! – A centímetros dele revirando os olhos, ela logo o corrigia. - Mais a proposito?! - Ela fazia a pausa levando uma das mãos até a cintura. - Quer me matar de susto Leandro?!
- Elise, Anelise, Lise.. Qual a diferença?! Tudo a mesma coisa! - Os dois, juntos? Implicância na certa!..
– Não, não é! - A bengala tocava o chão, outra vez.
- Para de se comportar como uma adolescente! - Por íncrivel que pareça, em meio as farpas, existia o tal do ''assunto sério''.
– E não sou tão desastrada como pensa! Também sei como você ajudar muitas pessoas.. Mais confesso que esses dois.. Tem o poder de cativar qualquer pessoa!

- O que acha de não dar tanto na telha? Assim tudo poderá ir por água a baixo mulher! – Próximo a dela, ele mantinha-se como sempre nervoso. – Deixe de espiar pelo buraco da fechadura! Tenha modos, por gentileza!
- Fique tranquilo meu velho! Passei muitos anos de vida esperando por esse momento precioso o qual os veria devolta.. E acredite.. – Aproximando-se dele, ela mantinha envolto no pescoço, o fino cordão que ali, segurava o poderoso medalião. – Muitos deles terão de ser acionados! Peça ao altissimo que chame o máximo que puder!
- Eu sei.. – Ele refletia suas palavras. – Vim avisa-los..

Continua..

4 comentários:

aaaaaaaaaaaaa disse...

a arte de me deixa curiosa essa vcs dominam neeh donas Gabriela Medeiros & Stefane Barcelos u.u

Nathanielly&Bianca disse...

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Anônimo disse...

++++++++++++++++++ po favoor mais eu nescessito de ++++++++++++++++++++++++++++++ mto maiiiiiiiiiiis

Anônimo disse...

ta poha posta maiis ++++++++ +++++++++ +++++++++

Postar um comentário

Minha foto
Florianópolis, Santa Catarina, Brazil
Bem vindos a Web Novela Roberta e Diego. Viaje junto com agente na historia desse grande amor. Escrita por Gabriela Medeiros & Stefane Barcelos.